Pandemia acelera em todo o mundo, mas com as mortes a baixar

América Latina e Oceania tiveram as maiores subidas na última semana do ano, enquanto a Europa foi responsável pelo maior número absoluto de infeções. Só a Ásia teve uma descida de casos

O número de casos de Covid-19 aumentou em mais de 50% em todo o mundo, nesta última semana de 2021, enquanto as mortes caíram 9%, segundo dados recolhidos pela agência AFP.

1,1 milhões de casos diários

O número médio de novos casos diários de infeção por SARS-CoV-2 ultrapassou a marca simbólica de um milhão, para 1,18 milhões, num aumento de 57% em relação à semana anterior.

A região da Europa foi responsável por 54 por cento dos casos, registando 4.490.612 durante a semana. A zona da América do Norte -Estados Unidos e Canadá - forneceu outros 32 por cento, com 2.636.831 casos.

Os casos confirmados refletem apenas uma fração do número real de infeções, com práticas de contagem variadas e níveis de teste em diferentes países.

América Latina e Oceania com as maiores subidas

As principais crises em nível regional ocorreram na Oceania e na América Latina e no Caribe, onde mais do que duplicaram - em 157% e 138%, respetivamente.

Também houve um grande aumento de 92% nos casos na zona dos Estados Unidos / Canadá. O número de infeções aumentou na Europa em 47% e no Médio Oriente em 37%. Os casos na África, onde a variante Ómicron, altamente contagiosa, foi detetada pela primeira vez, aumentaram apenas 8%. A Ásia contrariou a tendência mundial, com a queda de 2% no número de infeções.

Recordes em vários países

Cerca de 30 países de todos os cantos do mundo atingiram taxas de infeção semanais recordes, atingidos sobretudo pela variante Ómicron. Esse grupo inclui os países com o maior número de infeções por habitante, liderados pela Dinamarca, com 1.907 casos por 100.000 habitantes, Irlanda (1.784), Chipre (1.497), Reino Unido (1.441) e França (1.260). Também Portugal, que acabou a semana com uma taxa de incidência de 1182 infeções por 100 mil habitantes, bateu os seus recordes absolutos de casos desde início da pandemia.

Mortes baixam

Apesar do número de infeções bater recordes a nível global, já o número de mortes relacionadas à Covid caiu nove por cento, para 6.330 em média por dia.

A Europa foi responsável por mais de metade das mortes na última semana do ano: 53 por cento, com 23.324 pessoas a perderam a vida devido à covid-19. Os Estados Unidos e o Canadá responderam por 24 por cento, ou 10.433, das fatalidades.
Os países que relataram as taxas de mortalidade mais altas em proporção à população foram Trinidad e Tobago, com 12,08 mortes por 100.000 habitantes, Geórgia (11,76), Hungria (8,25), Polónia (7,85) e Croácia (7,65).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG