Exclusivo Netanyahu vence mas fica aquém da maioria. Partido islamista pode ser a chave

Primeiro-ministro deverá eleger 30 deputados e, junto com potenciais aliados, chegar aos 59, a dois dos necessários.

As quartas eleições no espaço de dois anos em Israel não foram suficientes para desbloquear o impasse político no país. O Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, foi o mais votado, devendo eleger 30 deputados. Mas mesmo com os seus tradicionais aliados e o apoio esperado (mas não certo) do Yamina, só chega aos 59 representantes, ficando a dois da maioria. A chave pode estar nos cinco deputados da Lista Árabe Unida (ou Ra"am, islamista) de Mansour Abbas. "Não descartarei ninguém", disse Netanyahu.

Quando estavam contados cerca de 90% dos votos - faltavam os dos diplomatas, forças de segurança e pessoas que têm covid-19 ou estão em quarentena - o segundo partido mais votado era o Yesh Atid, do líder da oposição Yair Lapid, que deverá eleger 17 deputados. Na prática, os opositores têm 56 representantes (ficam a cinco da maioria), mas há também conflitos no grupo, não sendo automática uma união para afastar Netanyahu.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG