Navio dos Médicos Sem Fronteiras com 376 migrantes aguarda por porto para desembarcar

Só este ano mais de 26 000 pessoas foram resgatadas das águas do Mediterrâneo, tendo sido depois levadas novamente para a Líbia, o que representa o dobro dos dados de 2020, segundo a Organização Internacional das Migrações

O navio "Geo Barent" da Organização Não Governamental (ONG) Médicos sem Fronteiras está a aguardar por um porto para desembarcar depois de ter resgatado 376 migrantes no Mediterrâneo central no fim de semana.

O último resgate ocorreu na noite passada, quando ativistas do Alarm Phone, que recebem chamadas de migrantes em perigo, deram o alerta para um barco insuflável com 71 pessoas a bordo.

"Graças ao alerta do Alarm Phone conseguimos chegar ao barco, que navegava com condições do mar adversas, com ondas de três metros. Apesar disso, conseguimos salvar as 71 pessoas a bordo", segundo a ONG.

Desde que voltou ao Mediterrâneo central, o "Geo Barents" realizou várias operações de socorro, a primeira foi em 22 de outubro, quando salvou 36 migrantes, incluindo 15 menores.

Recentemente, uma outra embarcação, a "Aita Mari", da organização espanhola Salvamento Marítimo Humanitário, resgatou do Mediterrâneo 105 pessoas, das quais seis com covid-19.

Este navio deverá chegar esta segunda-feira a Trapani, na ilha italiana da Sicília, para desembarcar os 105 migrantes que resgatou na terça-feira no Mediterrâneo.

Segundo a ONG, após seis dias de espera, o navio recebeu no domingo a notificação do centro de coordenação de Roma para se deslocar ao porto de Trapani e proceder ao desembarque destas pessoas, resgatadas na zona.

No fim de semana, o navio da ONG Sea Watch com 406 migrantes a bordo também chegou a Pozzallo, na Sicília.

Cerca de 370 migrantes provenientes da Líbia foram resgatados, neste fim de semana, no Mediterrâneo e repatriados, apesar de o país ser considerado inseguro, segundo a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

De acordo com o ACNUR, no sábado foram intercetadas 198 pessoas em duas embarcações pneumáticas, e reencaminhadas para os portos de Tripoli e Zawara, na Líbia, com destino a centros de detenção.

Só neste ano mais de 26 000 pessoas foram resgatadas das águas do Mediterrâneo

Na madrugada de domingo foram localizados outros 116 migrantes, entre os quais 20 mulheres e sete crianças, numa embarcação, e foram transportados também para a capital líbia.

No domingo de manhã as autoridades intercetaram um terceiro grupo de 56 migrantes, provenientes de Zawara e reconduzidos a Tripoli, que tiveram de ser assistidos por ferimentos ligeiros e sintomas de hipotermia.

Segundo a Organização Internacional das Migrações, só este ano mais de 26 000 pessoas foram resgatadas das águas do Mediterrâneo e devolvidas à Líbia, o que representa o dobro dos dados de 2020.

Este ano, cerca de 1100 pessoas foram dadas como mortas ou desaparecidas em contexto migratório.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG