Navalny: França "extremamente preocupada" com estado de saúde de opositor russo

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, disse este domingo que está "extremamente preocupado" com o estado de saúde do russo Alexei Navalny e apontou "grande responsabilidade" ao presidente da Rússia, Vladimir Putin.

"A situação do senhor Navalny é extremamente preocupante", declarou o chefe da diplomacia francesa no canal de televisão público France 3.E continuou: "Espero que sejam tomadas medidas para garantir a integridade física do senhor Navalny, mas também a sua libertação". "Esta é uma grande responsabilidade do presidente Putin", acrescentou.

Alexei Navalny, considerado como o principal crítico do Kremlin (Presidência russa), iniciou no passado dia 31 de março uma greve de fome em protesto contra as condições de detenção a que está sujeito, acusando a administração penitenciária de lhe recusar o acesso a um médico e a medicamentos, uma vez que sofre, segundo indicaram os seus advogados, de uma dupla hérnia discal.

O homem de 44 anos quase não sobreviveu, no ano passado, a uma intoxicação no sistema nervoso, que o deixou em coma. Ele acusa o Kremlin e os serviços de segurança russos de serem os responsáveis, factos que estes negam.

Médicos próximos de Navalny exigiram, no sábado, autorização para o ver imediatamente, temendo que tivesse uma paragem cardíaca fatal "a qualquer minuto".

"Constato que há realmente uma tendência autoritária na Rússia", acrescentou Jean-Yves Le Drian, considerando que este dossier foi "o mais simbólico, o mais exemplar e o mais surpreendente para as mentes".

O ministro francês acrescentou que "a Rússia é responsável pela saúde de Navalny" e "deve assumir" isso, considerou o chefe da diplomacia que reafirmou que a União Europeia está a acompanhar com atenção o processo.

"Nós já tomámos providências. O pacote de sanções já é significativo, mas pode haver outros", disse Jean-Yves Le Drian.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG