Mulher que morreu no Capitólio era da Força Aérea e fervorosa apoiante de Trump

Ashli ​​Babbitt, de 35 anos, foi uma das quatro pessoas que morreram durante o ataque ao Capitólio. Vídeo mostra momento em que foi baleada.

Quatro pessoas morreram na quarta-feira na invasão do Capitólio, em Washington, anunciou a polícia. A primeira vítima conhecida foi uma mulher de 35 anos, Ashli ​​Babbitt, de acordo com a Sky News uma grande apoiante de Donald Trump e veterana da Força Aérea, que acabou baleada por um polícia à paisana durante a invasão ao Capitólio.

Ashli ​​Babbitt, segundo a Sky News, era natural de San Diego, no Sul da Califórnia, e cumpriu quatro missões enquanto esteve na Força Aérea americana. Horas antes da morte, Ashli colocou uma mensagem na rede social Twitter onde escreveu que "nada" seria capaz de impedir a "invasão". Num outro post colocado no Twitter escreveu: "Nada nos vai parar. Eles podem tentar, tentar e tentar mas a tempestade está aqui e está a abater-se sobre DC nas próximas 24 horas. Vamos da escuridão para a luz!."

Em declarações a uma estação de televisão de San Diego, a KUSI, o marido confirmou que a mulher morreu durante a invasão e confirmou que era uma veterana da Força Aérea. Já a sogra, citada pela imprensa norte-americana, lamentou que se tivesse envolvido nos protestos: "Não compreendo porque é que ela decidiu fazer isto. Estou arrasada. Ninguém notificou o meu filho e soubemos pela televisão."

Já o cunhado, Justin Jackson, disse à NBC 7 que tinha entrado em contacto com a polícia de Washington, mas que não lhe contaram exatamente o que tinha acontecido. "Ashli ​​era leal e também extremamente apaixonada pelo que acreditava. Ela amava este país e sentia-se honrada por ter servido as nossas Forças Armadas."

Ashli ​​Babbitt foi alvejada no início da quarta-feira quando a multidão tentou arrombar uma porta barricada no Capitólio, onde a polícia estava armada do outro lado. A mulher foi hospitalizada com um ferimento de bala e morreu mais tarde. O vídeo do momento em que foi alvejada está disponível no twitter e em vários sites noticiosos norte-americanos, caso da Sky News.

Quatro horas após o início dos incidentes, as autoridades declararam que o edifício do Capitólio estava em segurança.

Apoiantes do Presidente cessante dos EUA, Donald Trump, entraram em confronto com as autoridades e invadiram o Capitólio, em Washington, na quarta-feira, enquanto os membros do Congresso estavam reunidos para formalizar a vitória do Presidente eleito, Joe Biden, nas eleições de novembro.

A sessão de ratificação dos votos das eleições presidenciais dos EUA foi interrompida devido aos distúrbios provocados pelos manifestantes pró-Trump no Capitólio, e as autoridades de Washington decretaram o recolher obrigatório entre as 18:00 e as 06:00 locais (entre as 23:00 e as 11:00 em Lisboa).

O debate no Senado foi retomado pelas 20:00 (01:00 de hoje em Lisboa).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG