Moscovo vai enviar equipa de cinema para fazer um filme na estação espacial

A Roscosmos anunciou o envio em outubro para a ISS da atriz Iulia Peressild, 36 anos, e do realizador Klim Chipenko, 37, num projeto cujo orçamento não foi revelado.

A Rússia anunciou esta quinta-feira o envio em outubro de uma equipa de cinema para rodar um filme de ficção a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), antes de colocar em órbita em dezembro um milionário japonês.

Os anúncios surgem quando a agência espacial Roscosmos se encontra em dificuldades há vários anos e tenta relançar-se, após escândalos de corrupção e a concorrência da sociedade Space X de Elon Musk.

A Roscosmos anunciou o envio em outubro para a ISS da atriz Iulia Peressild, 36 anos, e do realizador Klim Chipenko, 37 anos, num projeto cujo orçamento não foi revelado.

Ambos deverão ser os protagonistas "do primeiro filme de ficção no espaço", uma obra com a designação provisória de "O Desafio".

O filme é coproduzido por Dmitri Rogozine, o patrão da Roscosmos, que pretende que a Rússia seja o primeiro país a realizar semelhante projeto.

A agência espacial norte-americana (Nasa) trabalha com Tom Cruise para o mesmo objetivo.

Já hoje foi anunciado o envio para a ISS do milionário japonês Yusaku Maezawa e do seu assistente Yozo Hirano, que vai documentar a aventura. O início da viagem está previsto para 08 de dezembro a bordo de um foguetão Soyuz.

"A duração da viagem espacial será de 12 dias", indicou a agência, precisando que o treino da equipa se inicia em junho.

"Estou tão curioso de como se desenrola a vida no espaço que optei por descobrir por mim próprio e partilhá-lo com o mundo na cadeia YouTube", comentou Yusaku Maezawa, 45 anos, em comunicado da Space Adventures, a empresa que organiza a viagem.

O anúncio do recomeço das expedições turísticas em direção à ISS com o milionário japonês ocorre após a Rússia ter perdido em 2020 o monopólio dos voos habitados que detinha desse 2011 e da retirada do "Space Shuttle" norte-americano.

Desde maio de 2020, os foguetões e cápsulas do SpaceX estão em condições de enviar astronautas em direção à Estação, com custos inferiores aos contratos da Nasa, mas também dos europeus.

Esta nova situação implicou que a Rússia tenha deixado de receber dezenas e milhões de dólares por cada lugar numa viagem espacial.

Segundo a revista especializada Forbes, um lugar custa entre 20 e 35 milhões de dólares (16,5 a 29 milhões de euros) por oito a 12 dias a bordo da estação orbital.

A Rússia já anunciou que abandonará a ISS em 2025 para se centrar numa estação espacial estritamente russa e mais recentemente Pequim e Moscovo assinaram um protocolo de acordo para a construção de uma estação orbital, ou mesmo instalada na Lua.

No entanto, nenhum dos projetos tem orçamento nem calendário preciso.

O Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou em abril uma revisão dos projetos em curso, afirmando no dia do 60.º aniversário do primeiro voo no espaço, protagonizado por Iuri Gagarin, que a Rússia deve permanecer uma grande potência espacial.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG