Ataque aéreo demoliu prédio que albergava Al Jazeera e AP

Um ataque aéreo de Israel demoliu, este sábado, o prédio de 13 andares que abrigava a televisão Al Jazeera e a agência de notícias americana The Associated Press na Faixa de Gaza, disseram jornalistas da agência France Press.

Israel "destruiu a Torre Jala na Faixa de Gaza, que alberga a Al Jazeera e outros escritórios de imprensa internacionais", disse a Al Jazeera num tweet, com um jornalista da AP indicando que o exército alertou o proprietário da torre antes do ataque.

A Al Jazeera transmitiu as imagens do edifício a desabar após o ataque aéreo de Israel, criando uma enorme nuvem em forma de cogumelo de poeira e detritos.

O ataque, cujas razões continuam por explicar, aconteceu uma hora depois de os militares terem avisado o proprietário que iam atacar o edifício, ordenando a sua evacuação.

"O exército avisou o proprietário da torre em que a AP tem os seus escritórios que seria alvo" de um ataque, escreveu no Twitter Jon Gambrell, repórter da agência norte-americana.

O bombardeamento destruiu completamente o edifício de 12 andares que, além da AP, acolhia ainda delegações da televisão árabe Al-Jazeera e outros meios de comunicação social, deixando uma gigantesca nuvem de pó no ar.

Contactado pela AFP, o exército israelita não teve uma reação imediata às notícias.

"As bombas podem cair sobre o nosso escritório. Subimos as escadas do 11.º andar e estamos agora a olhar para o edifício de longe, rezando para que o exército acabe por recuar", colocou Fares Akram, correspondente da AP em Gaza, na sua página no Twitter, pouco antes do ataque.

Desde segunda-feira que o movimento islamita dominante em Gaza - o Hamas - e Israel têm vindo a trocar disparos de e para o enclave palestiniano de dois milhões de pessoas.

Em Gaza, pelo menos 139 pessoas foram mortas, incluindo 39 crianças e 22 mulheres. Em Israel, oito pessoas foram mortas, incluindo um homem que foi atingido por um foguete que acertou Ramat Gan, um subúrbio de Tel Aviv.

EUA advertem Israel após ataque a edifício da Associated Press em Gaza

A Casa Branca advertiu Israel de que garantir a segurança dos jornalistas é "primordial", após uma investida israelita ter destruído um edifício em Gaza onde funcionava a agência de notícias Associated Press, que ficou "chocada e horrorizada" com o ataque.

"Dissemos diretamente aos israelitas que garantir a segurança dos jornalistas e dos meios de comunicação independentes é uma responsabilidade de importância crítica", disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki.

As forças armadas israelitas destruíram hoje um edifício que albergava os escritórios da agência de notícias Associated Press (AP) e outras organizações jornalísticas em Gaza, num ataque à capacidade de os meios de comunicação reportarem o que se passa no território.

O ataque, cujas razões continuam por explicar, aconteceu uma hora depois de os militares terem avisado o proprietário que iam atacar o edifício, ordenando a sua evacuação.

Através de uma declaração, a AP manifestou-se "chocada e horrorizada" com o ataque israelita, que destruiu a torre que albergava os seus escritórios e os da Al Jazeera, em Gaza, que classificou de um "desenvolvimento incrivelmente inquietante".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG