Ministro do Ambiente do Brasil alvo de operação da polícia

Investigação sobre exportação ilegal de madeira para Estados e Unidos e Europa, com 35 mandados de buscas em três estados do país, implica Ricardo Salles.

Ricardo Salles, o ministro do Meio Ambiente do Brasil é alvo nesta quarta-feira, dia 19, de uma operação que investiga exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

Ao todo, 160 agentes da polícia federal cumprem 35 mandados no Distrito Federal, no Pará e em São Paulo. Salles ainda não se pronunciou publicamente

Os mandados foram autorizados pelo juiz Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em paralelo com as buscas, o STF determinou o afastamento preventivo de dez agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e no Ministério do Meio Ambiente.

Além disso, determinou a suspensão imediata da aplicação de um despacho, emitido em fevereiro de 2020, que permitia a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações de exportação.

A operação surge três semanas depois de um delegado da polícia federal, Alexandre Saraiva, ter afirmado em audiência na Câmara dos Deputados que o ministro do Meio Ambiente fez uma "inversão" e "tornou legítima a ação dos criminosos, não do agente público" nas ações de fiscalização na Amazónia.

Saraiva, um ex-superintendente da polícia no Amazonas e responsável pela queixa-crime apresentada ao STF contra Salles, disse que o ministro e aliados tentaram dificultar a ação de órgãos ambientais no estado. Na sequência fora substituído.

Salles vem sendo criticado nacional e internacionalmente por aplicar políticas contrárias ao meio ambiente, que supostamente deveria defender, em conformidade com o pensamento do presidente da República Jair Bolsonaro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG