Merkel preocupada com dinâmica "exponencial" de novas infeções na Alemanha

"Temos de assumir que teremos uma duplicação em menos de duas semanas" do número de novas infeções", disse a chanceler alemã, que apela à vacinação. Se a tendência de aumento de casos se mantiver, Merkel admite novas restrições.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse esta quinta-feira estar preocupada com a dinâmica "exponencial" de novas infeções de covid-19 no país, particularmente devido à progressão da variante Delta, e exortou a população a ser vacinada.

"Estamos a ter um crescimento exponencial e acho essa dinâmica preocupante. Temos de assumir que teremos uma duplicação em menos de duas semanas" do número de novas infeções, afirmou a chanceler em conferência de imprensa em Berlim.

Desde meados de julho, o número de novos casos diários ultrapassou o milhar, em média.

Nas últimas 24 horas, foram contabilizados 1890 novos casos pelo Instituto Robert Koch, a autoridade responsável pela prevenção e controlo de doenças no território alemão.

Face à progressão da variante Delta, mais infecciosa e contagiosa e que agora se tornou na mais presente na Alemanha e em grande parte da Europa, Merkel considerou que a vacinação é mais importante que nunca.

"Quanto mais vacinados formos, mais livres seremos novamente"

"Toda a vacinação conta. Cada vacinação é um passo, um pequeno passo, rumo ao regresso à normalidade para todos. Quanto mais vacinados formos, mais livres seremos novamente. Não apenas como indivíduos, mas também como comunidade", vincou.

A chanceler, que se opõe à vacinação obrigatória, recordou que a educação deve ser privilegiada para motivar aqueles que ainda não foram vacinados.

Até hoje, pelo menos 60,4% da população alemã já tinha recebido uma dose das vacinas autorizadas no país e 48% tem já a vacinação completa.

"A todos os que já se vacinaram, digo-vos: procurem mobilizar-se e convencer os outros [que ainda não foram], sejam família, amigos, no campo de futebol", sugeriu.

Merkel admite novas restrições

Se o número de infeções continuar a aumentar e para "não sobrecarregar o sistema de saúde", a porta está aberta para a implementação de novas restrições para abrandar a progressão da doença, admitiu a chefe do Governo alemão.

Desde o início da pandemia, 91.458 pessoas morreram na Alemanha de covid-19, segundo o Instituto Robert Koch.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.119.920 mortos em todo o mundo, entre mais de 191,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG