Meghan Markle acusada de 'bullying'. Palácio, "muito preocupado", vai investigar

A duquesa de Sussex disse mais cedo estar triste com as acusações de assédio moral, denunciadas no jornal 'The Times'.

O Palácio de Buckingham está "muito preocupado" e vai investigar as acusações de assédio moral feitas por um ex-funcionário contra Meghan Markle, a duquesa de Sussex, durante o tempo em que foi membro da família real.

"Estamos claramente muito preocupados com as acusações [publicadas no jornal] The Times, após a denúncia de um ex-funcionário do duque e da duquesa de Sussex", expressou o palácio num comunicado. "A nossa equipa de recursos humanos vai analisar as circunstâncias", acrescentaram, indicando que funcionários atuais e antigos vão ser chamados a participar.

"A Casa Real não tolera e não vai tolerar bullying ou assédio no local de trabalho", referiram.

Mais cedo, Meghan, que é casada com o príncipe Harry, disse estar "triste" com as acusações de assédio moral, segundo seu porta-voz.

O jornal The Times noticiou que, em outubro de 2018, Jason Knauf, então secretário de comunicações de Harry e Meghan, apresentou uma queixa de assédio moral, no local de trabalho.

Como resultado, um porta-voz da duquesa de Sussex afirmou que ela está "triste com este último ataque à sua pessoa, especialmente por ser uma pessoa que foi assediada e que está profundamente envolvida no apoio àqueles que tiveram sofrimento e traumas".

Os advogados do casal disseram ao The Times que o jornal estava "a ser usado pelo Palácio de Buckingham para vender uma história completamente falsa" antes da transmissão, marcada para domingo, de uma entrevista altamente esperada de Harry e Meghan a Oprah Winfrey.

Esta entrevista tem gerado grande expectativa no Reino Unido, onde a imprensa e especialistas reais aguardam as possíveis revelações do casal, que deixou claro o seu desconforto dentro da família real antes de deixá-la no ano passado, provocando um escândalo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG