Mario Draghi vai tentar formar governo de emergência em Itália

O antigo presidente do Banco Central Europeu foi convidado a formar governo e vai agora ouvir os partidos com assento parlamentar.

Mario Draghi, ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), aceitou "com reservas" a indigitação para tentar formar um governo de emergência, depois de terem fracassado as negociações políticas para a manutenção do executivo liderado por Giuseppe Conte.

O presidente da república Sergio Mattarella desafiou Draghi a abraçar esta missão para enfrentar imediatamente a crise económica e sanitária originada pela pandemia de covid-19, como alternativa à antecipação das eleições legislativas em Itália, após a demissão de Conte.

Mario Draghi, que liderou o BCE entre 2011 e 2019, vai agora iniciar um série de consultas com os partidos políticos para perceber da viabilidade de formar governo.

Após a reunião com Mattarella, Draghi agradeceu "a confiança" que lhe foi depositada pelo chefe de Estado, reconheceu que Itália "atravessa um momento difícil" resultante de uma "dramática crise sanitária com consequências graves na vida das pessoas, na sociedade e na economia". E, nesse sentido, apelou à "unidade" de todos os quadrantes políticos e sociais para que se possa formar governo na tentativa de "resolver os problemas" e "relançar o país em termos económicos".

Assim sendo, prometeu falar "com grande respeito" com todas as forças políticas parlamentares, confiando que possa haver "uma resposta responsável e positiva" ao desafio lançado por Sergio Mattarella.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG