Exclusivo Lua-de-mel de "JLo" acabou. Angola em crise assume liderança da CPLP

Líderes dos nove países da comunidade discutem, em Luanda, mobilidade e o novo pilar económico e empresarial. 2021 será o sexto ano de contração económica em Angola.

Luanda acolhe hoje e amanhã a XIII cimeira de chefes de Estado e Governo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), com Angola a assumir a presidência rotativa desta comunidade de 300 milhões de habitantes. A um ano das eleições gerais, nas quais o presidente João Lourenço é o favorito apesar de a lua-de-mel do primeiro mandato já ter acabado, "é uma Angola em crise, de natureza económica com reflexos políticos", aquela que assume a liderança de deste organismo, disse ao DN o professor Fernando Jorge Cardoso, investigador do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa e do Instituto Marquês de Valle Flor.

Quando em setembro de 2017, José Eduardo dos Santos optou por não se candidatar à presidência, depois de mais de quatro décadas no poder, dando lugar a João Lourenço (conhecido como JLo), muitos acreditaram que continuaria a "puxar os cordelinhos", lembrou ao DN o diretor para o Programa de África da Chatham House (think tank londrino), Alex Vines. "Mas em seis meses, a imagem de marioneta deu lugar à do "exterminador". As mudanças foram inicialmente mais rápidas do que o esperado e isso aumentou as expectativas de mudança. Contudo, a lua-de-mel acabou em 2020, visto que a maioria dos angolanos não viu qualquer melhoria nas suas condições de vida e 2021 será o sexto ano de contração económica", acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG