Joaquin, Emma & Cia. Para os "El Chapo", droga é negócio de família

A mulher do famoso narcotraficante foi agora detida nos EUA por conspiração para distribuir cocaína, metanfetaminas e marijuana. Os filhos lideram o seu próprio grupo criminoso.

Omexicano Joaquin Guzman, mais célebre como El Chapo, está a cumprir uma pena de prisão perpétua no estabelecimento de alta segurança de ADX Florence, no Colorado. Mas não se pense que apesar da prisão nos EUA, o negócio do tráfico de droga que colocou o líder do cartel de Sinaloa na lista dos mais influentes da revista Forbes e o tornou tão ou mais poderoso que o colombiano Pablo Escobar ficou ao abandono. Aos 31 anos, Emma Coronel Aispuro, a mulher do narcotraficante mexicano que naquele julho 2019 ouviu o juiz ler a sentença e se despediu do marido no tribunal, de polegares para cima e lágrimas nos olhos, depressa assumiu o negócio. Ontem soube-se da sua detenção num aeroporto de Washington. É acusada de conspiração para distribuir cocaína, metanfetaminas e marijuana nos EUA.

A ex-rainha da beleza, que tem dupla nacionalidade, mexicana e americana, é também suspeita de participação ativa na fuga de Guzman de uma prisão mexicana em 2015 e de planear um segundo resgate do marido, até que este foi extraditado, em janeiro de 2017, a pedido das autoridades americanas. Segundo os procuradores, Emma foi um dos cérebros da célebre fuga, que envolveu a construção de um túnel iluminado de 1,6 km, no qual foi instalada uma motorizada sobre carris, até ao chuveiro da cela de Guzman. Para fazer a escavação e preparar a fuga, foi comprado um terreno próximo da prisão, além de um carro blindado.

Tradição familiar

Joaquín Guzmán nasceu em 1957 em La Tuna, nas montanhas Sierra Madre no estado mexicano de Sinaloa. Era um de 11 irmãos, filhos de um rancheiro alcoólico que cultivava papoilas para ópio e heroína. Tinha 15 anos quando começou também na apanha da papoila, trabalhando para o traficante local Héctor Luis Palma Salazar.

No início dos anos 1980, El Chapo (alcunha que significa baixinho, devido à sua estatura baixa - 1,68 metros - mas forte) já trabalhava para o cartel de Guadalajara. Quando o líder Miguel Ángel Félix Gallardo foi preso, em 1989, os territórios do cartel de Guadalajara foram divididos em três, surgindo os cartéis de Tijuana, Juárez e Sinaloa, este último liderado por Guzmán, Salazar e Ismael El Mayo Zambada Garcia. El Chapo tornar-se-ia o mais poderoso narcotraficante do mundo, especialmente após a morte de Pablo Escobar, em 1993.

Desde a última detenção de El Chapo e a sua extradição para os EUA que a liderança do cartel de Sinaloa passou para as mãos de Ismael Zambada Garcia. Mas as coisas não têm sido pacíficas na relação com os filhos de El Chapo. Desde 2019 que Jesus Alfredo, Ivan Archivaldo e Ovidio Guzman - conhecidos como Los Chapitos - têm protagonizado uma violenta guerra contra vários cartéis mexicanos pelo controlo do tráfico de droga para os EUA. Segundo o jornal Zeta Tijuana , só nos primeiros 28 dias do ano registaram-se 246 homicídios no estado de Baja California. larga maioria terá sido levada a cabo por Los Chapitos e os seus homens e tiveram como alvo principal membros do não menos violento cartel Jalisco Nueva Generación (CJNG). Liderado por Nemesio El Mencho Oseguera Cervantes, o CJNG controla o tráfico em 35 estados do México e também em Porto Rico. O grupo é conhecido pela brutalidade dos seus métodos: desde arrancar o coração das vítimas a dissolver os seus corpos em barris de ácido.

Los Chapitos

Casado pelo menos quatro vezes, estima-se que El Chapo tenha uma dezena de filhos. Mas os três Chapitos são os mais famosos no mundo do narcotráfico. O mais velho, Ivan Archivaldo, de 39 anos, tem liderado a guerra contra os outros cartéis. Em 2016, com o pai ainda em fuga, foi raptado durante uns dias, com o irmão Jesus, pelo CJNG. Dois anos mais novo, Jesus é conhecido como Alfredo ou Alfredillo. Na lista dos mais procurados da DEA, a agência norte-americana que luta contra o tráfico de droga, não esconde um estilo de vida luxuoso e gosta de desafiar as autoridades com as mega-festas que organiza. O mais novo, Ovidio - ou El Raton - terá sido o responsável pelo massacre de Culiacán durante o qual os membros do seu grupo abriram fogo sobre a polícia nas ruas, levando as autoridades a considerar a situação de alto risco para os civis e a deixá-lo escapar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG