Isolamento de Costa? EMA recomenda "abordagem preventiva" até para vacinados

Agencia Europeia do Medicamento apela às farmacêuticas para monitorizar eficácia das vacinas perante novas variantes.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) emitiu esta quinta-feira vários alertas face ao aparecimento das novas variantes, e perante a possibilidade de "outras cá chegarem".

"É muito importante que as pessoas vulneráveis, e em particular os mais velhos, sejam vacinados tão rápido quanto possível, à luz de uma potencial vaga da variante Delta a propagar-se pelo continente nas próximas semanas, e no resto do ano", alertou o chefe da task force da EMA, Marco Cavaleri, vincando que "nesta fase" é recomendada "precaução".

Esta semana, as autoridades de saúde portuguesas colocaram o primeiro-ministro António Costa em isolamento profilático devido ao contacto com uma pessoa infetada, mesmo estando já vacinado e com teste negativo.

Questionado pelo DN sobre o procedimento para quem esteve em contacto com alguém infectado, mas já tomou a vacina, Marco Cavaleri afirma que a regra de ouro é a prevenção. "Tudo o que podemos dizer é que é importante manter uma abordagem preventiva, mesmo para quem já está vacinado. Particularmente para quem ainda não tem o ciclo completo", alertou, lembrando que "ainda estamos numa fase em que há variantes a aparecer".

"É por essa razão que deve haver uma abordagem cautelosa", que é "uma das medidas possíveis, relativamente à prevenção da propagação do vírus, que será também muito importante", defendeu Marco Cavaleri.

A recomendação veio acompanhada de um apelo às farmacêuticas para que façam uma verificação das vacinas "muito eficazes" com as primeiras versões do vírus, mas a capacidade de protecção face a variantes é ainda uma incógnita.

"Há diversas variantes que têm aparecido no último mês e esperamos que outras cá cheguem", alertou o chefe da task force para as vacinas na EMA, considerando "muito importante que haja uma monitorização contínua e vigilância apertada da performance das vacinas aprovadas, sobre qualquer nova variante que esteja a aparecer".

No entanto, o mesmo responsável afirmou que "até ao momento, parece que as quatro vacinas que estão aprovadas na União Europeia protegem contra as variantes que estão a circular na Europa, incluindo a variante Delta".

Mas Marco Cavaleri chamou a atenção para a velocidade com que aparecem novas variantes do vírus, dando o exemplo da "variante Delta, que já tem a Delta+", que se caracteriza por "alterações à proteína spike" que dá a forma característica dos espinhos ao Sars-Cov2.

"Todos os estudos dos laboratórios serão analisados pela EMA para permitir concluir o nível de proteção das várias vacinas contra as variantes", prometeu a responsável.

Nesta altura, reconheceu Cavaleri, a Agência Europeia do Medicamento ainda não está em condições de dizer se serão necessários reforços das atuais vacinas que já estão a ser administradas.

Na União Europeia há quatro vacinas com autorização de utilização desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech, AstraZeneca, Moderna e Jannsen. As quatro fazem parte do programa nacional de vacinação em Portugal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG