Homem infetou mais de 60 pessoas na China após 21 dias de quarentena

As autoridades apontam um homem que regressou recentemente de Singapura como a fonte provável do surto, apesar de ter completado uma quarentena de 21 dias ao chegar à China.

Um homem foi identificado como fonte de novo surto na China, após regressar do estrangeiro e infetar mais de 60 pessoas, incluindo 15 estudantes do ensino básico, avança a CNN.

Os primeiros casos deste surto foram detetados em dois jovens irmãos durante uma testagem de rotina numa escola primária em Xianyou, na cidade de Putian, na quinta-feira. No dia seguinte, outro estudante e três pais testaram positivo, segundo o governo municipal de Putian indicou numa conferência de imprensa.

As autoridades apontam um dos pais, que regressou recentemente de Singapura, como a fonte provável do surto, apesar de o homem ter completado uma quarentena de 21 dias ao chegar à China.

O homem chegou a Xiamen, na China, no início de agosto e foi submetido a 14 dias de quarentena obrigatórios num hotel. Depois, passou mais sete dias em quarentena centralizada em Xianyou, antes de regressar a casa para mais uma semana de vigilância sanitária, segundo o governo de Putian. Durante os 21 dias de quarentena, testou negativo nove vezes, porém, voltou a testar positivo 37 dias após a entrada no país.

O caso insólito e raro está a causar dúvidas na política de quarentena na China, uma vez que os 21 dias não foram suficientes para prevenir o atual surto em Putian.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG