Homem faz reféns numa sinagoga no Texas

Polícia e FBI estão no local. Rabino será um dos quatro reféns.

Uma de várias pessoas feitas reféns numa sinagoga no Texas foi libertada ao início da madrugada (hora portuguesa), informou a polícia local neste sábado (15). Os negociadores continuavam a lidar com a situação, na qual um homem que afirma ser irmão de uma conhecida terrorista condenada tem como reféns um rabino e outras pessoas que tinham acorrido a um culto religioso.

Segundo as informações veiculadas por agências internacionais, o homem fez pelo menos quatro reféns numa sinagoga do Texas este sábado. Segundo o departamento da polícia de Colleyville, a cerca de 40 quilómetros de Dallas, foi mobilizada a SWAT (equipa especial de polícia) pelas 11.30 locais para a congregação Beth Israel, durante o culto de sábado. Um dos reféns será o rabino.

"Os negociadores do FBI são os que têm contacto com a pessoa no prédio", disse o sargento Dara Nilson à CNN, garantindo que não há "nenhuma ameaça ao público em geral". Apesar disso, a polícia pediu para que as pessoas evitem a área.

O culto estava a ser transmitido em direto na página do Facebook da sinagoga e, segundo alguma Imprensa local, foi possível ver quando um homem visivelmente irritado apareceu. No vídeo, ouvia-se um homem, identificado como Muhammad Siddiqui, a dizer que "há algo de errado com os EUA" e exigir falar ao telefone com a irmã - a neurocientista paquistanesa Aafia Siddiqui, conhecida como Lady Al-Qaeda, que está a cumprir uma sentença de 86 anos de prisão por matar um agente do FBI - antes de morrer.

Colleyville é uma comunidade com cerca de 26.000 pessoas, a cerca de 23 quilómetros a nordeste de Fort Worth, no Texas.

A assessora de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, divulgou através da plataforma social Twitter que o Presidente Joe Biden foi informado da situação e está a receber atualizações de altos funcionários.

Também o primeiro-ministro israelita, Naftali Bennett, anunciou na mesma rede social que está a acompanhar de perto a situação. "Rezamos pela segurança dos reféns e dos socorristas", escreveu no Twitter.

O cônsul-geral de Israel em Houston está a caminho do local do incidente, segundo o ministro israelita dos Negócios Estrangeiros, Yair Lapid, numa declaração em que acrescenta que os funcionários israelitas "estão em estreito contacto com as agências norte-americanas de aplicação da lei".

atualizado às 01.05

Mais Notícias

Outras Notícias GMG