Guardia Civil salva bebé em risco de se afogar no mar de Ceuta

Membro da Guardia Civil atirou-se ao mar para salvar um bebé de meses. Pai e a criança estavam em risco de se afogar na praia de Tarajal, em Ceuta, onde mais de oito mil imigrantes chegaram em apenas dois dias, vindos de Marrocos.

Com as duas mãos, Juan Francisco, da Guardia Civil espanhola, segura num bebé de meses, que estava em risco de se afogar na praia de Tarajal, em Ceuta. A imagem reflete bem o drama vivido por milhares de imigrantes - serão mais de oito mil - que em apenas dois dias chegaram ao enclave espanhol, vindos de Marrocos .

Juan Francisco, membro do Grupo Especial de Atividades Submarinas da Guardia Civil, não hesitou e atirou-se ao mar para salvar o bebé. Pai e criança estavam em risco de se afogar. O momento foi registado e a imagem foi publicada pela força policial espanhola na rede social Twitter.

O bebé foi salvo na segunda-feira quando milhares de imigrantes ilegais tentavam chegar a Ceuta. "O pai não podia levar o bebé, eles estavam a afogar-se, o guarda salvou-o", explica um porta-voz da Guardia Civil, citado pelo jornal ABC. O bebé de apenas dois meses encontra-se bem.

Este foi um dos muitos resgates feitos pelas autoridades em Ceuta. Famílias com crianças pequenas e alguns bebés tentam chegar a este enclave espanhol e sem a ajuda dos agentes "não teriam conseguido e estaríamos a falar de muitas mortes", disse o porta-voz da força policial espanhola.

Foram ainda partilhadas pela Guardia Civil outras imagens de crianças a serem salvas. "Os elementos da Guardia Civil salvam a vida de dezenas de menores que chegavam a Ceuta por mar com as suas famílias", lê-se na descrição.

Desde segunda-feira que cerca de oito mil imigrantes chegaram a Ceuta, entre os quais 1500 menores, a nado ou em fragéis embarcações insufláveis, um número recorde, segundo as autoridades espanholas.

Governo espanhol anunciou a deportação de cerca de 4000 migrantes (adultos) para Marrocos, tendo ainda mobilizado várias unidades do exército espanhol e de outras forças de segurança para Ceuta para controlar as ruas da cidade e a zona de fronteira.

Os migrantes que são identificados como menores de idade estão a ser enviados para armazéns administrados pela Cruz Vermelha e por outras organizações.

Espanha não concede aos cidadãos marroquinos o estatuto de requerentes de asilo, e apenas permite que crianças migrantes não acompanhadas permaneçam legalmente no país sob supervisão governamental.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, garantiu esta terça-feira que o Governo de Espanha irá utilizar "a máxima firmeza" para restaurar a normalidade em Ceuta, que continuava esta terça-feira a registar novas entradas "por mar" de cidadãos procedentes de Marrocos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG