França. Festa clandestina com 2500 pessoas termina em confrontos com a polícia

As autoridades tentaram impedir a festa de Passagem de Ano, mas foram recebidos com hostilidade pelos convidados que lançaram pedras e garrafas aos agentes.

Uma festa ilegal de réveillon com cerca de 2500 pessoas no noroeste de França terminou em violentos confrontos com a polícia, que não foi capaz de deter os participantes do evento, aumentando, assim, a preocupação face à disseminação do novo coronavírus, informaram esta sexta-feira as autoridades.

A festa aconteceu em Lieuron, a sul de Rennes, no departamento da Bretanha. Muitos convidados ainda estavam no local quando um cordão sanitário foi instalado na festa.

A autarquia informou, em comunicado, que as autoridades locais tentaram "evitar a comemoração, mas enfrentaram a hostilidade feroz de muitos convidados", que incendiaram um dos carros da polícia e atiraram pedras e garrafas.

A festa reuniu participantes de toda a França e também de outros países e, segundo relatos, terá ocorrido no interior de um armazém.

Ajuntamentos estão estritamente proibidos na França para travar a propagação da covid-19. Em todo o país está em vigor o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00, uma mendida que não foi suspensa na Passagem de Ano.

Está já a decorrer uma investigação pela organização ilegal da festa e pela violência contra as autoridades.

Polícia interrompe festa em Marselha e detém organizadores

Um jornalista da AFP relata que estavam muitos veículos estacionados, os convidados permaneciam no local e a música ainda tocava alto esta sexta-feira.

Na cidade de Marselha, as forças de segurança interromperam uma festa de fim de ano ilegal, que reunia cerca de 300 pessoas, disse a polícia. Mais de 150 pessoas foram advertidas e os três supostos organizadores foram presos.

Gerald Darmanin, o ministro do Interior, disse que 132 000 policiais foram convocados para garantir a segurança e o respeito pelo recolher obrigatório na Passagem de Ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG