Filho de Bolsonaro faz queixa de youtuber alegando "segurança nacional"

Felipe Neto, fenómeno nas redes sociais, chamara o presidente da República de "genocida". "Não vai me calar: uma crítica política não pode ser silenciada jamais", reagiu o comunicador após detenção. E foi apoiado por políticos

Felipe Neto, youtuber brasileiro de 32 anos cujo canal tem mais de 40 milhões de fãs, foi levado a uma esquadra do Rio de Janeiro na segunda-feira, dia 15, onde terá de responder por "crime contra a segurança nacional" por ter chamado Jair Bolsonaro de "genocida". A Polícia Civil disse que o comunicador foi intimado após queixa do vereador Carlos Bolsonaro, segundo filho do presidente.

"Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por crime contra segurança nacional porque chamei Jair Bolsonaro de genocida (...) A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, nunca o contrário. Carlos Bolsonaro, você não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar", afirmou.

"Minha atribuição do termo 'genocida' ao presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!", continuou o youtuber.

"Ninguém será silenciado à força nesse país por criticar seu pai, Carluxo", concluiu, referindo-se à alcunha do político do Republicanos.

Carlos Bolsonaro respondeu já terça-feira, dia 16, pelas redes sociais. "Nunca fomos contra a liberdade de expressão ou a favor de autoritarismo. Vale lembrar que quem levou uma facada de opositor foi Jair Messias Bolsonaro. Agora se o tal combate ao "discurso de ódio" vale para o lado de cá, tem que valer pro lado de lá também! Por anos somos rotulados de tudo que há de pior. Enquanto isso a esquerda calou e cala todos sob o mantra do "combate ao discurso de ódio" mesmo o propagando descarada e diariamente. Basta provarem um miligrama do próprio veneno que viram "vítimas de autoritarismo"".

O deputado federal do PCdoB Orlando Silva defendeu Neto. "Bolsonaro quer impor a censura, calar as vozes contrárias a seu governo catastrófico e, sim, é genocida, pois sabota as medidas sanitárias e foi negligente na compra de vacinas".

"Que ridículo! Tenha a solidariedade do nosso mandato, caro Felipe Neto. Isso é tentativa de intimidação. Todo dia milhares de brasileiros chamam o genocida de genocida, porque você seria perseguido por isso? A propósito, Bolsonaro, você é um genocida!", escreveu Chico D'Angelo, do PDT.

Ao longo das últimas horas dezenas de deputados saíram em apoio do youtuber.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG