Farmacêutivas GSK e CureVac desenvolvem em conjunto vacina contra variantes já detetadas

O objetivo é desenvolver "uma vacina que responda às variantes que possam surgir durante a pandemia".

O laboratório farmacêutico britânico GSK e o concorrente alemão CureVac anunciaram que vão desenvolver em conjunto uma vacina contra o novo coronavírus que esperam estar pronta em 2022.

Em comunicado, as empresas referem que têm como objetivo desenvolver "uma vacina que responda às variantes que possam surgir durante a pandemia".

Neste momento, a investigação vai ter como "alvo" as variantes que já foram detetadas e outras que podem vir a surgir, indica o documento divulgado hoje.

O laboratório GSK (GlaxoSmithKline) através do mesmo comunicado acrescenta que, numa primeira fase, vai apoiar durante 2021 a produção de uma primeira vacina que já foi desenvolvida pela farmacêutica CureVac e que já se encontra na "fase 3" dos ensaios clínicos.

As duas empresas já têm vínculos estabelecidos, desde julho de 2020, altura em que a GSK adquiriu 10% do capital da biotecnológica alemã CureVac.

Farmacêuticas esperam ter resultados em 2022

Os trabalhos vão começar de imediato sendo que as empresas esperam obter resultados em 2022, desde que obtenham "luz verde" das autoridades sanitárias.

O acordo prevê um investimento de 150 milhões da GSK na empresa alemã e que vai permitir aos britânicos obter os direitos da nova vacina para todos os países, exceto Alemanha, Áustria e Suíça.

"Nós pensamos que a 'próxima geração da vacina' vai ser crucial na luta que continua contra o covid-19", disse Emma Walmsley, diretora geral da GSK.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG