Entrevista a Diana. Príncipes William e Harry acusam BBC: "A nossa mãe perdeu a sua vida por causa disto"

Os filhos da princesa Diana não poupam a BBC depois de um relatório independente revelar que a estação encobriu as práticas "fraudulentas" utilizadas pelo jornalista Martin Bashir para garantir a famosa entrevista à mãe. Contribuiu "significativamente para o medo, paranóia e isolamento" que ela viveu nos seus últimos anos, acusam.

O príncipe William, segundo na linha de sucessão do trono britânico, acusou a BBC de ter contribuído "significativamente para o medo, isolamento e paranoia" sofridos pela sua mãe, Diana de Gales, nos últimos anos da sua vida.

Numa declaração lida por si próprio e divulgada pelas redes sociais na noite de quinta-feira, o primogénito do príncipe herdeiro, Charles, e de Diana de Gales, disse também que a entrevista que a BBC conduziu com a sua mãe em 1995 foi um fator importante no afastamento dos seus pais, que estavam separados, mas não divorciados.

De acordo com um relatório independente divulgado na quinta-feira, a BBC encobriu as práticas "fraudulentas" utilizadas pelo jornalista Martin Bashir para garantir a sua famosa entrevista e não cumpriu as normas adequadas de "integridade e transparência".

O documento detalha as conclusões retiradas de uma investigação exaustiva e independente lançada pelo antigo juiz John Dyson, encomendada pela própria emissora pública, para esclarecer como foi obtida a entrevista explosiva e após questionar os métodos utilizados para a obter através do irmão de Diana do País de Gales, Earl Spencer.

Entre outras coisas, Bashir foi acusado de recorrer a práticas irregulares, tais como a utilização de documentação falsificada, para garantir a entrevista.

"Os empregados da BBC mentiram e usaram documentos falsos para garantir a entrevista com a minha mãe, fizeram afirmações falsas e esfarrapadas sobre a minha família, o que alimentou os seus medos e paranóia", disse William, na sua declaração.

E criticou a cadeia pela sua "terrível incompetência" ao investigar a forma como Bashir obteve a entrevista, e subsequentemente encobriu as suas conclusões.

Contribuiu "significativamente para o medo, paranóia e isolamento" que ela viveu nos seus últimos anos.

"A nossa mãe perdeu a sua vida por causa disto, e nada mudou. Ao proteger o seu legado, protegemos todos, e defendemos a dignidade com que viveu a sua vida"

O seu irmão mais novo, o príncipe Harry, entretanto, divulgou uma declaração escrita através das suas redes sociais, na qual denuncia que os "efeitos de ondulação de uma cultura de exploração e práticas antiéticas acabaram por reclamar a vida" da sua mãe, Diana.

"A nossa mãe perdeu a sua vida por causa disto, e nada mudou. Ao proteger o seu legado, protegemos todos, e defendemos a dignidade com que viveu a sua vida", disse o Duque de Sussex, que reside nos Estados Unidos com a sua família depois de deixar o Reino Unido para, entre outras coisas, fugir ao assédio da imprensa.

Harry considerou que o relatório Dyson "é o primeiro passo para a justiça e a verdade", mas mostrou-se preocupado por "estas práticas, e ainda piores, estarem hoje generalizadas" e irem além de um único meio de comunicação social.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG