Elefante mata visitante num Parque Nacional no Zimbabué

A vítima, de 71 anos, tinha saído do carro para fotografar uma manada de elefantes que "estava a 120 metros de distância".

Um turista sul-africano foi morto na sexta-feira passada por uma elefante no Parque Nacional de Mana Pools, o único parque zimbabueano que se pode visitar sem o acompanhamento de guia armado, confirmaram esta quinta-feira as autoridades responsável do parque.

A vítima, de 71 anos, e o seu filho, de 41, tinham saído do carro para fotografar uma manada de elefantes que "estava a 120 metros de distância" do carro. Uma elefante dessa manada começou a atacar a família.

A distância até ao carro dificultou a fuga da vítima, disse o porta-voz da Autoridade de Gestão de Parques Nacionais e Vida Selvagem, Tinashe Farawo, à agência de notícias espanhola, Efe.

O filho conseguiu escapar ao ataque, mas o pai - que era veterinário e um visitante frequente do parque desde 1986 - foi espezinhado até à morte pela elefante, que posteriormente foi abatida. Segundo Farawo, a elefante "mostrou sinais de agressão e irritação".

Os ataques fatais de elefantes e outros animais selvagens são raros nos parques naturais do Zimbabué. O Parque Nacional de Mana Pools é Património Mundial da UNESCO.

De acordo com os últimos dados da Autoridade de Gestão da Vida Selvagem do país em junho, pelo menos 30 pessoas sofreram ataques de elefantes durante o primeiro semestre deste ano.

O parque de Mana Pools, localizado no norte do país, perto da fronteira com a Zâmbia, é único entre os parques nacionais do Zimbabué, porque, apesar de alojar animais perigosos como leopardos, leões e búfalos, permite aos visitantes caminharem desacompanhados de um guia armado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG