Departamento de Justiça dos EUA refere ter sido afetado por "hackers" russos

Porta-voz Marc Raimondi não identificou a quem pertencem as contas de e-mail potencialmente comprometidas

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos referiu esta quarta-feira que cerca de 3% das suas contas de endereço eletrónico podem ter ficado comprometidas durante os ataques informáticos em larga escala alegadamente cometidos por hackers russos a agências governamentais norte-americanas.

Numa declaração, o porta-voz do Departamento de Justiça norte-americano, Marc Raimondi, disse que se acredita que nenhum sistema confidencial terá sido afetado. Raimondi não identificou a quem pertencem as contas de e-mail potencialmente comprometidas.

Na declaração do porta-voz, também não ficou claro se os ataques ao Departamento de Justiça e a outras agências governamentais norte-americanas incluíram o acesso a outros dados além dos endereços eletrónicos, uma vez que o Office 365, da empresa Microsoft, contém vários componentes de partilha e de colaboração de documentos.

Terça-feira, as principais agências de segurança dos Estados Unidos apontaram a Rússia como responsável pelos ataques informáticos em larga escala contra vários departamentos da administração norte-americana, apontando para um objetivo de "espionagem".

Segundo a agência AP, esta declaração, expressa em comunicado, representou a primeira tentativa formal do Governo norte-americano de atribuir responsabilidades à Rússia por estes ataques informáticos.

A nota, da responsabilidade do polícia federal norte-americana FBI (Federal Bureau of Investigation) e de outras agências de segurança, refere que os hackers (piratas informáticos) pretendiam roubar informações, sublinhando que as evidências reunidas até agora demonstram que existe mais um esforço de espionagem russo do que uma tentativa de danificar as operações do Governo.

Anteriormente, as autoridades norte-americanas, nomeadamente o procurador-geral, William Barr, e o secretário de Estado, Mike Pompeo, tinham responsabilizado a Rússia pelos ataques.

Contudo, há cerca de um mês, o Presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu que o ataque informático poderia ser responsabilidade da China.

Entretanto, a embaixada russa nos Estados Unidos já garantiu que a Rússia "não realiza operações ofensivas no ciberespaço".

O ataque informático contra vários departamentos da administração norte-americana prolongou-se durante vários meses antes de ser descoberto pelo grupo de segurança informático FireEye, que também foi alvo de uma intrusão, em dezembro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG