Ciclone Pamela torna-se furacão e dirige-se para a costa do Pacífico mexicano

O ciclone localiza-se a 345 quilómetros a sul-sudoeste do cabo de San Lucas, na Baja California Sur, e a 355 quilómetros a oeste do cabo Corrientes, em Jalisco.

O ciclone Pamela tornou-se um furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson, ao aproximar-se da costa do Estado de Sinaloa, no Pacífico mexicano, anunciou esta terça-feira o Serviço Meteorológico Nacional (SMN) do México.

"O centro do furacão Pamela, categoria 1 na escala Saffir-Simpson, continua a ganhar força, no sul-sudeste da costa da Baja California Sur e a oeste da costa de Jalisco", disse o SMN, no seu mais recente relatório.

O ciclone localiza-se agora a 345 quilómetros a sul-sudoeste do cabo de San Lucas, na Baja California Sur, e a 355 quilómetros a oeste do cabo Corrientes, em Jalisco.

O furacão desloca-se para o norte, a 20 quilómetros por hora e regista ventos sustentados de 130 quilómetros por hora com rajadas de até 160 quilómetros por hora e o SMN prevê que ele venha a provocar "chuvas muito intensas na Baja California e Sinaloa; chuvas pontuais muito intensas em Durango, Nayarit e Jalisco, bem como chuvas pontuais intensas em Sonora e Colima".

"As chuvas provocadas podem causar deslizamentos de terra, aumento do nível dos rios e inundações em áreas baixas", avisou ainda a agência.

Por este motivo, o SMN solicitou à população em geral que tome extrema precaução nas áreas dos referidos Estados devido às chuvas, ventos e ondas (incluindo a navegação marítima) e que atenda às recomendações emanadas das autoridades do Sistema Nacional de Proteção Civil, em cada região.

De acordo com a previsão meteorológica, o Pamela vai fortalecer-se para se tornar um furacão de categoria 2 e atingirá o estado de Sinaloa na quarta-feira, provocando fortes chuvas.

Este ano, no oceano Pacífico já se formaram os ciclones Andrés, Blanca, Carlos, Dolores, Enrique, Felicia, Guillermo, Hilda, Ignacio, Jimena, Kevin, Linda, Marty, Nora, Olaf e Pamela.

O ciclone Dolores atingiu a costa em meados de junho, matando três pessoas em tempestades elétricas.

Em meados de agosto, as chuvas geradas pelo ciclone Grace -- originado em pleno Atlântico e que atingiram o golfo do México, - causaram a morte de pelo menos 11 pessoas - oito no Estado de Veracruz e três no Estado central de Puebla - em além de inundações e danos severos.

O ciclone Nora, que atingiu a costa em 28 de agosto, causou a morte de um menor no Estado de Jalisco e sete desaparecidos, seis deles pescadores do Estado de Guerrero.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG