Christopher Donahue. O último militar norte-americano a sair do Afeganistão

A foto do general Christopher Donahue a deixar o aeroporto de Cabul simboliza o fim de duas décadas da presença de tropas dos EUA no Afeganistão. Afinal, foi o último militar norte-americano a deixar o país.

A imagem do major-general Christopher Donahue, comandante da 82ª Divisão Aerotransportada, a deixar a pista do aeroporto internacional de Cabul, pouco antes da meia-noite de segunda-feira, ​​​simboliza o fim de duas décadas da presença dos EUA no Afeganistão. Ele foi o último militar americano a deixar o país e a foto que capta esse momento ficará para a história.

É o fim da guerra mais longa dos EUA, ao longo da qual serviram mais de 775 mil soldados, dos quais mais de 2400 morreram. A presença norte-americana no Afeganistão terminou esta segunda-feira, após uma evacuação apressada.

Donahue, de 52 anos, foi o último soldado americano a deixar solo afegão e o instante foi registado recorrendo a lentes de visão noturna e partilhado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Com o hangar do aeroporto de Hamid Karzai ao fundo e de arma na mão direita, o militar prepara-se para entrar na última aeronave norte-americana, um C-17, que deixou a capital do Afeganistão.

O major-general e o embaixador de Washington em Cabul foram os últimos a embarcar no derradeiro avião norte-americano que saiu da capital afegã . "No último avião a sair estava o general Chris Donahue, comandante da 82ª Divisão Aerotransportada e meu comandante de força terrestre lá, acompanhado pelo embaixador Ross Wilson", revelou, na segunda-feira, o comandante do Comando Central, general Kenneth McKenzie.

Christopher Donahue foi enviado para o Afeganistão durante este mês de agosto para integrar os esforços no processo de retirada, tendo como missão garantir a segurança no aeroporto internacional de Cabul.

Comandante da 82ª Divisão Aerotransportada, que pertence à 18ª força aerotransportada do exército dos EUA, com base em Fort Bragg, na Carolina do Norte, Donahue é formado pela academia militar dos EUA em West Point, tendo começado a carreira no exército em 1992.

"Esta foi uma missão incrivelmente dura, com muita pressão e repleta de múltiplas complexidades, com ameaças ativas durante todo este período. As nossas tropas mostraram coragem, disciplina e empatia", escreveram no Twitter as forças especiais da XVIII Airborne Corps, que também partilharam a foto de Donahue.

Antes de participar nesta operação em Cabul, este soldado americano trabalhou no Pentágono como assistente especial do Estado-Maior, tendo servido na Coreia do Sul e no Panamá. Foi destacado para participar em pelo menos 17 operações, como por exemplo no Afeganistão, Iraque, Síria, Líbia e no leste da Europa.

Após o voo do último avião norte-americano que saiu da capital afegã, Donahue recebeu um telefonema do secretário de Estado da Defesa, segundo noticiou a Associated Press, que cita como fonte um oficial dos EUA. Lloyd Austin assistiu aos 90 minutos finais da operação de retirada a partir de um centro de operações no Pentágono.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG