China aperta restrições com aproximação do Ano Novo Lunar

As autoridades chinesas reforçaram este sábado as restrições de circulação em duas cidades da província de Hebei, sul de Pequim, para tentar conter o novo surto de covid-19 e travar a propagação com a aproximação do Ano Novo Lunar.

Na cidade de Shijiazhuang, capital da província de Hebei, foi este sábado suspensa a circulação do metro como medida para ajudar na "prevenção e controlo da epidemia", enquanto na cidade de Xingtai foi decretada a proibição de sair de casa durante uma semana.

Um total de 18 milhões de pessoas nesta pronvíncia estão proibidas de circular para fora desta zona, a não ser por motivo considerado urgente.

Segundo a agência Associated Press, Pequim está a exigir aos trabalhadores da província de Hebei, um comprovativo de trabalho e um teste de covid-19 negativo antes de autorizar a sua entrada na capital do país.

A France Presse indica, por seu lado, que as autoridades decidiram também encerrar as escolas naquelas duas cidades da província de Hebei, tendo ainda imposto restrições à circulação dos meios de transporte de longa distância.

Estas medidas estão a ser tomadas numa altura em que se aproximam as comemorações do Ano Novo Lunar, a principal festa das famílias chinesas, equivalente ao Natal nos países ocidentais, e depois de na semana passada a China ter detetado mais de 300 infeções por covid-19, 200 das quais assintomáticas.

A principal festa das famílias chinesas é também a maior migração interna do planeta, com dezenas de milhões de trabalhadores a regressarem às respetivas terras natais.

A Comissão de Saúde da China anunciou hoje ter identificado 33 casos de covid-19, nas últimas 24 horas, 17 dos quais de contágio local e os restantes oriundos do exterior.

A província de Hebei, que circunda Pequim, somou 14 casos locais nas últimas 24 horas. Desde que o surto foi detetado, na semana passada, a região já registou mais de 200 casos, levando as autoridades a colocar parte da província sob quarentena.

Os outros três casos locais foram detetados na província de Liaoning (nordeste).

Os 16 casos importados foram diagnosticados em Xangai (leste), Guangdong (sul), Liaoning (nordeste), Jiangsu (leste), Fujian (sudeste) e Shandong (leste).

As autoridades chinesas indicaram que foram detetados 38 doentes assintomáticos, 21 dos quais oriundos do exterior, apesar de estes casos só serem considerados confirmados se manifestarem sintomas

Mais Notícias

Outras Notícias GMG