Centenas de estorninhos mortos em Roma após fogo-de-artifício

Imprensa italiana fala de um "massacre" e organizações de defesa dos direitos dos animais apelam à proibição dos fogos-de-artifício.

Centenas de estorninhos foram encontrados mortos em redor da estação Termini, em Roma, alegadamente por causa dos fogos-de-artifício que foram lançados para comemorar a chegada de 2021.

Estima-se que as aves se assustaram e ficaram desorientadas pelos fogos-de-artifício, acabando por chocar contra janelas ou cabos de alta tensão.

A agência italiana ANSA apelida de "massacre" o que aconteceu em Roma, enquanto o Corriere della Sera descreve um "manto macabro de carcaças de pássaros".

As imagens foram partilhadas nas redes sociais.

A Organização Internacional para a Proteção dos Animais (OIPA) partilhou uma imagem das aves mortas e apelou à proibição do lançamento de fogos-de-artifício.

Este ano, a presidente da câmara de Roma, Virginia Raggi, tinha proibido o lançamento de material pirotécnico, não só por uma questão de segurança para as pessoas, mas também para evitar efeitos nocivos em animais de estimação ou até danos ao património da cidade. O espectáculo oficial de fogo-de-artifício decorreu no Circus Maximus. Quem não cumprisse arriscava uma multa até 500 euros.

"As multas são inúteis, de facto não existem controlos e todos os anos contamos centenas de animais selvagens mortos ou feridos e animais de estimação feridos ou mortos por causa dos fogos e da distração dos donos", disse o presidente da OIPA, Massimo Comparotto, citado pela agência ANSA.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG