Richard Branson foi ao espaço: "Bem vindos ao despontar de uma nova era"

Multimilionário britânico, acompanhado da equipa de astronautas, com viagem bem sucedida para fora da superfície terrestre. Britânico anunciou parceria com a Omaze para oferecer viagens em 2022.

Richard Branson, 70 anos, aterrou no SpacePort America, no Novo México pouco depois das 16.40 deste domingo, culminando assim uma viagem histórica, que descreveu como a "experiência de uma vida" e que tem como objetivo dar início ao turismo espacial.

"Parabéns a toda a equipa maravilhosa da Virgin Galactic por 17 anos de trabalho árduo para nos levar até aqui", disse o multimilionário britânico durante uma transmissão ao vivo enquanto a nave espacial VSS Unity planava de volta. Ao regressar à Terra abraçou família e amigos e celebrou perante os netos, Etta e Artie.... e postou uma imagem da viagem no Twitter, com a seguinte mensagem: "Bem vindos ao despontar de uma nova era."

Depois falou aos colaboradores e aos jornalistas. "Penso que, como a maioria das crianças, esperava por este momento desde que era um miúdo. Honestamente, nada nos pode preparar para a vista do espaço. Foi mágico", afirmou Branson, "muito honrado por testar a experiência do consumidor".

"Ao ter voado para o espaço consegui ver mais claramente que a Virgin Galactic é a linha espacial para tornar o espaço mais acessível para todos e para transformar a próxima geração de sonhadores em astronautas de hoje e de amanhã", sublinhou.

Foi a quarta missão tripulada do VSS Unity além da atmosfera terrestre, mas a primeira com passageiros. O sucesso da viagem de Branson promete abrir a vontade e a carteiras de mais alguns apaixonados do espaço. Várias centenas de passageiros já tinham reservado bilhetes para as próximas viagens espaciais, que custam cerca de 250 mil dólares (cerca de 210 mil euros).

Richard Branson anunciou ainda uma parceria com a Omaze para oferecer viagens em 2022. Basta inscrever-se e poderá doar dinheiro para organizações de caridade e sem fins lucrativos e ganhar dois bilhetes para ir ao espaço no início do próximo ano .As inscrições acabam a 1 de setembro.

Cerca de 15 minutos em órbita e quatro minutos de microgravidade

Branson embarcou rumo ao espaço por volta das 15.30 (partida foi adiado por uma hora e meia). O SpaceShipTwo da Virgin Galactic largou a nave mãe por volta das 16.30. O foguetão atingiu uma altitude de cerca de 90 quilómetros acima da superfície da terra, oferecendo alguma sensação de microgravidade aos cinco passageiros, que durante cerca de quatro minutos puderam sair dos lugares e olhar pela janela e ver a paisagem.

Depois de atingir o espaço sideral, o avião foguete planou de volta à terra. Desde que largou a nave mãe até chegar ao chão, passaram cerca de 15 minutos. Foi esse o tempo que esteve em órbita.

Para assinalar o momento, o músico Khalid apresentou a música New Normal ao vivo, no SpacePort America.

A viagem foi acompanhada ao minuto por várias estações, como a CNN, cuja emissão foi conduzida por Kristin Fisher, filha de dois astronautas, que se estreou na televisão norte-americana.

Fã da saga Star Trek cumpre sonho de deixar o planeta Terra

"Espaço, a última fronteira..." O milionário britânico Richard Branson, fã da saga Star Trek cumpriu este domingo o sonho de deixar o planeta Terra. Mas ao contrário do comandante Kirk a bordo da USS Entreprise, a viagem na SpaceShipTwo batizada VSS Unity não será "onde nenhum homem foi antes". Apenas "onde nenhum milionário foi antes", a cerca de 80 quilómetros de altitude.

A aventura, a partir do Novo México, deveria começar pelas 14.00 de Lisboa, mas foi adiado para as 15.30.

Richard Branson chegou ao local da descolagem, no Novo México, de bicicleta.

Jeff Bezos vai no dia 20 e desejou sorte a Branson

Com uma fortuna estimada de 4,8 mil milhões de euros, Branson, de 70 anos, e a sua Virgin Galactic preparam-se para bater outro milionário na corrida ao espaço, o fundador da Amazon, Jeff Bezos. A viagem deste, a bordo da nave da sua empresa Blue Origin, está prevista só para dia 20. "É uma coincidência incrível e maravilhosa irmos no mesmo mês", disse o britânico ao jornal The Washington Post, rejeitando a ideia de uma corrida ao espaço. Certo é que a data do seu voo foi revelada poucas horas depois de Bezos fazer o seu próprio anúncio.

Este sábado, no Instagram, Jeff Bezos deixou uma mensagem para Richard Branson. "Richard Brand desejo-te a ti e a toda a equipa um voo bem sucedido e seguro. Muita sorte", lê-se.

Dos discos ao espaço

Nascido a 18 de julho de 1950 em Londres, Branson sofre de dislexia e o diretor da escola privada que frequentou ter-lhe-á dito, no último dia, que ou acabaria na prisão ou tornar-se-ia milionário. O seu primeiro negócio foi uma revista, intitulada Student, que lançou aos 16 anos, mas foi a partir dos 20, com a venda de discos pelo correio que lançaria as bases da Virgin Records e do grupo Virgin. Rádios, hotéis, comboios, aviões... Estas são apenas algumas das áreas pelas quais enveredou, com a sua empresa a ter atualmente mais de 70 mil funcionários.

Conhecido pelas suas aventuras e vários recordes do mundo, desde travessias do Atlântico ou do Pacífico em iates ou balões de ar quente ao maior número de pessoas num kitesurf, Branson prepara-se agora para ser o primeiro milionário a voar para o espaço, depois de ter criado a Virgin Galactic em 2004 para apostar no turismo espacial. A ideia de Branson era ter feito a sua primeira viagem há dois anos, mas sucessivos atrasos e até um trágico acidente, que causou a morte de um piloto em 2014, impediram-no até agora de realizar o sonho.

"Sempre fui um sonhador. A minha mãe [que morreu com covid-19 em janeiro] ensinou-me a nunca desistir e alcançar as estrelas", disse Branson. Este será o primeiro voo de teste com quatro passageiros, além dos dois pilotos, a bordo da SpaceShipTwo, que já fez três viagens com sucesso ao espaço - para os norte-americanos, as 50 milhas (ou 80 quilómetros) marcam a fronteira do espaço. A nave descola acoplada ao avião WhiteKnightTwo, sendo lançada depois a uma velocidade mais de três vezes a do som. Quando atingir a altitude máxima, os passageiros terão alguns minutos sem gravidade, antes de a nave voltar para a Terra, aterrando como um avião normal.

O sucesso do voo abrirá a porta ao turismo espacial, havendo já mais de 600 reservas para a experiência que poderá custará entre 300 mil e 400 mil dólares.

susana.f.salvador

Mais Notícias

Outras Notícias GMG