Biden dobra compromisso de vacinas nos EUA para 200 milhões de doses

Há uma semana Biden já tinha anunciado que iria atingir a meta das 100 milhões de doses de vacina no dia seguinte, quando ainda apenas se cumpriam 58 dias de mandato

O Presidente dos EUA, Joe Biden, redefiniu esta quinta-feira o plano de vacinação contra a covid-19 para os seus primeiros 100 dias na Casa Branca, duplicando a meta e prometendo aplicar 200 milhões de doses.

"Teremos aplicado 200 milhões de vacinas até ao meu centésimo dia de mandato", disse esta quinta-feira Biden, que, ainda antes de tomar posse, tinha prometido atingir 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 nos seus primeiros 100 dias de mandato.

Contudo, na passada quinta-feira, Biden já tinha anunciado que iria atingir a meta das 100 milhões de doses de vacina no dia seguinte, quando ainda apenas se cumpriam 58 dias de mandato.

Embora aparentemente ambiciosa, a nova meta de Biden equivale a uma continuação do ritmo existente de vacinações, quando os Estados Unidos estão a conseguir aplicar cerca de 2,5 milhões de doses por dia.

Ao longo do próximo mês, alguns dos obstáculos para aumentar esse ritmo devem também ser eliminados, já que o fornecimento de vacinas aos EUA está a aumentar e os estados estão a aumentar os requisitos de elegibilidade para receber os fármacos.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado, tanto em número de mortes como de infeções, com um total de 545 282 mortes e 30 011 551 casos, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 745 337 mortos no mundo, resultantes de mais de 124,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG