Baldwin quebra silêncio sobre morte trágica. "Ela era minha amiga"

Ator foi apanhado na rua por jornalistas. Mesmo sem poder adiantar muitos pormenores, por causa da investigação, diz que a equipa do filme era experiente e fala num episódio terrível.

O ator americano Alec Baldwin quebrou pela primeira vez o silêncio sobre a tragédia ocorrida durante as filmagens do filme Rust, quando acidentalmente disparou uma arma, acabando por matar Halyna Hutchins, 42 anos, diretora de fotografia.

"Ela era minha amiga. No dia em que cheguei a Santa Fé e comecei a filmar, levei-a a jantar juntamente com Joel Souza, o realizador. Éramos uma equipa muito experiente a rodar um filme juntos e este episódio horrível aconteceu. É um num bilião", respondeu Baldwin, num vídeo partilhado pelo site TMZ.

Acompanhado da mulher e visivelmente incomodado, Baldwin disse que não tem permissão para falar sobre o que aconteceu porque "está a decorrer uma investigação". "Recebi ordens do Departamento do Xerife em Santa Fé. Não posso responder a nenhuma pergunta sobre a investigação. Não posso mesmo", disse

A dada altura um jornalista perguntou ao ator se estaria disponível para entrar num debate sobre a proibição de armas de fogo durante a rodagem de filmes, uma temática que tem estado na ordem dia desde que esta tragédia aconteceu. "Quantas balas foram disparadas em filmes e programas de TV nos últimos 75 anos? Isto é a América. Quantas balas foram disparadas, quase todas sem incidentes Não me cabe a mim decidir, mas se calhar está na altura de deixarmos de trabalhar com balas reais?", respondeu.

Halyna Hutchins morreu depois que Baldwin disparar uma arma durante a rodagem do filme Rust. Ela tinha 42 anos. O realizador do filme, Joel Souza, de 48 anos, ficou ferido no ombro. As autoridades do Novo México, nos Estados Unidos, estão a investigar o caso.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG