Autoridades britânicas preocupadas com ajuntamentos na final do Euro 2020

As autoridades britânicas têm lançado alertas sobre os perigos de grandes reuniões para a final de futebol Euro 2020 de domingo, com medo da variante do coronavírus Delta altamente transmissível que está a gerar surtos em todo o mundo.

Londres vai receber mais de 60 mil espetadores no estádio de Wembley para a final do Euro 2020, a maior massa de adeptos numa partida de futebol britânica desde o início da pandemia, quando a Inglaterra enfrenta a Itália.

As autoridades estão particularmente preocupadas com o risco de um grande número de adeptos nos pubs para assistir à primeira vez que a Inglaterra surge numa grande final de futebol em mais de meio século.

Apesar do apelo das autoridades britânicas, milhares de adeptos convergiram já para Wembley muitas horas antes do início da partida, cantando e bebendo cerveja.

Neil Houldsworth, 61, disse à AFP: "Se ficar mais movimentado, usarei uma máscara.
"Pessoalmente, não há preocupação alguma", acrescentou. O reformado David Durant acrescentou: "Talvez eu esteja um pouco feliz. "É melhor aqui ao ar livre beber a nossa cerveja. É menos provável que apanhe covid-19".

O primeiro-ministro Boris Johnson sinalizou que as restrições restantes devem ser suspensas na Inglaterra a 19 de julho, mas as taxas de infecção estão a aumentar novamente, impulsionadas pela variante Delta.

O governo britânico considera que depois de mais de 85% dos adultos terem recebido pelo menos uma dose de vacina contra a covid-19, a ligação entre infecções, hospitalizações e mortes foi cortada. Mas muitos cientistas estão profundamente preocupados em relaxar todas as regras restantes, incluindo o distanciamento social e o uso de máscaras.

Enquanto os jogadores da Inglaterra deixavam a sua base em St George's Park no sábado, um grande número de adeptos alinhou-se na estrada e quase nenhum usava máscaras nos em vídeos e fotos tuitadas a partir do local.

Especialistas em saúde expressaram a preocupação de os eventos em torno do Euro 2020 se tornarem super-propagadores ao longo do torneio, especialmente na Grã-Bretanha e na Rússia por causa da variante Delta. E as autoridades da Dinamarca, Finlândia e Escócia já relataram infeções entre adeptos depois de assistirem a jogos do Euro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG