Autarca de Roma critica festejos da seleção italiana e responsabiliza Federação

Matteo Piantedosi não autorizou a festa do título europeu nas ruas de Roma e responsabiliza a Federação italiana pelo eventual aumento de casos de covid-19 nos próximos dias.

O presidente da Câmara de Roma, Matteo Piantedosi, condenou os festejos da seleção italiana nas ruas da cidade após vencerem o Campeonato da Europa de futebol e responsabiliza a FIGC - Federação Italiana de Futebol.

"Tínhamos proibido as celebrações do Campeonato Europeu no autocarro descoberto, mas as ordens não foram respeitadas", disse Matteo Piantedosi ao jornal Corriere della Sera, que não esconde o seu descontentamento com o que aconteceu na segunda-feira "pelas possíveis consequências que poderão ocorrer nas próximas semanas", no que diz respeito ao aumento de casos de covid-19 na região.

O presidente considera que as celebrações deveriam ter ocorrido de forma diferente, tendo em conta as necessidades de segurança relacionadas com a covid-19: "A FIGC pediu permissão para que os atletas da seleção nacional fizessem uma viagem por Roma num autocarro descoberto, mas foi claramente explicado que tal não era possível. Dissemos que não podíamos autorizá-lo."

Uma das soluções autorizadas, em alternativa ao autocarro da seleção, foi a instalação de uma plataforma na Piazza del Popolo, no centro de Roma, onde os jogadores pudessem celebrar com os adeptos. Contudo, a federação italiana optou pelo autocarro descoberto, desobedecendo às indicações do presidente.

"Tudo o que aconteceu entristece-me profundamente. Desde há um ano, mesmo nos tempos mais difíceis, que em Roma tentamos sempre aplicar medidas cooperativas, estimulando a colaboração dos cidadãos e das áreas produtivas em vez de impor medidas rigorosas", frisou Piantedosi.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG