Angola realiza sorteio para incentivar população a vacinar-se

Conselho de Ministros aprovou uma proposta de realização de um sorteio, no dia 31 de dezembro, para, aleatoriamente, premiar um cidadão que tenha tomado as doses de qualquer uma das vacinas

O Governo angolano aprovou esta terça-feira a realização de um sorteio nacional para incentivar a população a aderir à vacinação contra a covid-19, que está aquém das expectativas das autoridades sanitárias do país.

A informação foi avançada pelo ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, no final da oitava reunião do Conselho de Ministros, realizada sob orientação do Presidente angolano, João Lourenço.

Francisco Furtado disse que foi constatado que, apesar de se notar uma evolução positiva da eficácia das medidas, aliado ao facto de o país estar com níveis bastante satisfatórios de receção de vacinas das diferentes variantes que estão a ser utilizadas, "a adesão da população não está a ser positiva".

O dirigente angolano frisou que os novos postos de alto rendimento instalados nos sete municípios da província de Luanda deviam cada um, em média, vacinar cerca de 3.000 pessoas, havendo em todo o país condições para uma média de 90.000 pessoas vacinadas por dia.

"No entanto, esta afluência está a ser bastante reduzida, foi recomendada nesta sessão que a Comissão Multissetorial de Prevenção e Combate à Covid-19, as comissões provinciais e os órgãos de comunicação social, particularmente, desempenhem um papel mobilizador no sentido de sensibilizar as pessoas a vacinarem-se", salientou.

"A vacina vai contribuir para a redução das probabilidades de contágio e dos efeitos que a doença tem causado, se assim for nós teremos de facto condições de melhor manter a estabilidade, não estarmos preocupados com a cerca sanitária nem com outras medidas", sublinhou.

Como forma de estimular a população a aderir à vacinação, prosseguiu Francisco Furtado, o Conselho de Ministros aprovou uma proposta de realização de um sorteio, no dia 31 de dezembro deste ano, "para, aleatoriamente, premiar um cidadão que tenha tomado as doses de qualquer uma das variantes de vacinas [existente no país]".

De acordo com o ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, será um sorteio nacional, a ser feito a nível de todas as províncias, "como forma de estimular os cidadãos".

"Porque não é obrigatório exigirmos às pessoas a vacinarem-se, mas deve ser um ato de consciência de cada um, como estímulo estabeleceu-se esta premiação que será feita no dia 31 de dezembro de 2021", vincou.

Angola já administrou, desde o dia 02 de março deste ano, 2.021.999 doses de vacinas, havendo 901.861 pessoas com a vacinação completa completa, anunciou, na segunda-feira, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

"Estamos a caminhar, mas ainda falta muito e há toda uma necessidade de apelar uma vez mais a toda população na adesão aos postos de vacinação", referiu Franco Mufinda durante a apresentação da situação epidemiológica do país sobre a covid-19.

Angola registou até à data um total de 47.331 casos positivos, 1.210 óbitos, 43.322 recuperados e 2.792 ativos.

A covid-19 provocou pelo menos 4.507.823 mortes em todo o mundo, entre mais de 216,98 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG