Falha na Internet: alguns dos maiores sites do mundo estiveram em baixo

Em causa está uma falha num dos maiores servidores de Internet a nível global

Várias páginas na Internet de importantes veículos de comunicação de todo o mundo, como The New York Times, Le Monde, BBC, The Guardian, Financial Times e El Mundo, assim como a plataforma Reddit ou o sistema de pagamento PayPal, deixaram de funcionar ou enfrentaram muitas dificuldades esta terça-feira por volta das 11.00 (hora de Lisboa).

Os sites dos governos dos Estados Unidos e do Reino Unido também foram afetados.

Os sites inacessíveis apresentavam mensagens tais como "Error 503 Service Unavailable" ou "Connection Failure".

A agência AFP adianta que o site do Governo britânico, gov.uk, que inclui os vários ministérios e permite aos utilizadores realizar muitos procedimentos relacionados com os serviços públicos britânicos, apresentava a mensagem "Error 503 Service Unavailable".

O site da Casa Branca estava a exibir a mensagem "Esta página não está a funcionar" quase ao mesmo tempo.

O site especializado na deteção de problemas de acesso à Internet Down Detector reportou informações que "podem indicar uma interrupção em grande escala no Fastly", um fornecedor de serviços na nuvem dos EUA, que ajuda a diminuir o tempo de carregamento dos sites e a protegê-los de ataques pirata. Com a Fastly em baixo, muitos sites que a utilizam são bastante afetados.

Entretanto, o Fastly diz ter identificado e resolvido as falhas que deixaram esta terça-feira dezenas de portais em todo o mundo sem serviço.

"A nossa rede global volta a estar em linha. Identificou-se o problema e aplicou-se uma solução. Os clientes podem ter uma maior carga à medida que regressem os serviços globais", refere a companhia no portal oficial.

Os problemas nas páginas de meios de comunicação social, redes sociais e plataformas de compras em rede começaram por volta das 11:00 sendo que minutos antes a Fastly publicava um aviso sobre "impactos" nos serviços CND (canais de distribuição de conteúdos).

Às 11:44 a empresa indicava que o problema tinha sido identificado e que estava a encontrar uma solução.

Finalmente, às 11:57 a companhia dizia ter resolvido a falha, mas advertia que alguns clientes podiam estar a ter "problemas de carga mais lenta" nas páginas de internet.

Minutos depois, através de uma mensagem difundida pela rede social Twitter, a Fastly explicava que tinha sido identificada uma configuração de serviço que provocou interrupções nos POP (milhares de pontos de presença) a nível mundial. "Desativámos essa configuração. A nossa rede global volta a estar em linha", referia a mensagem.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG