Air France e Lufthansa suspendem voos no espaço aéreo afegão

A companhia aérea francesa refere que a "segurança dos clientes é um imperativo absoluto". Já o grupo Lufthansa indica que medida visa "assegurar a segurança aérea".

A companhia aérea francesa Air France indicou esta segunda-feira que vai evitar "até nova ordem" o espaço aéreo afegão, por motivos de segurança, afetando a duração de voos para alguns destinos.

Num comunicado enviado à agência Efe, a companhia refere que a "segurança dos clientes é um imperativo absoluto".

A Air France indica igualmente que tomou a decisão na sequência das recomendações comunicadas pelas autoridades locais responsáveis pela aviação civil.

Evitar o espaço aéreo afegão vai implicar a alteração de alguns planos de voo e demoras nas ligações entre Paris e Banguecoque, Bangalore, Bombaim, Nova Deli, Chennai (Madras), Ho Chi Minh City e Singapura.

As medidas afetam sobretudo as ligações entre a capital francesa e Banguecoque, Nova Deli e Singapura.

Lufthansa também suspende voos no espaço aéreo afegão. "Medida visa assegurar a segurança aérea"

Anteriormente, o grupo de aviação Lufthansa já tinha anunciado a suspensão "até nova ordem" do sobrevoo do Afeganistão, onde as forças talibãs recuperaram o poder provocando a saída urgente de cidadãos estrangeiros.

"Todas as companhias aéreas do grupo suspenderam os voos sobre o Afeganistão até nova ordem", indicou a Lufthansa através de um comunicado enviado à agência France Presse.

"Esta medida visa assegurar a segurança aérea", refere o grupo alemão detido pelas companhias Austrian Airlines, Swiss, Brussel Airlines e Eurowings.

"Em consequência, a duração dos voos com destino à Índia, entre outros, vai demorar mais uma hora", alertou o grupo Lufthansa.

Com a tomada de Cabul, no domingo, os talibãs reconquistaram o poder no Afeganistão, após 20 anos de guerra, na sequência da retirada das forças dos Estados Unidos, negociada em fevereiro de 2020.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG