Twitter registou aumento de 84% em pedidos de remoção de mensagens

O Twitter registou um aumento de 40% nos pedidos de acesso, por parte de governos, à informação de contas de utilizadores, e uma subida de 84% nos pedidos de remoção de mensagens.

O Twitter registou, no último ano, um aumento de 40% nos pedidos de acesso à informação pessoal das contas dos utilizadores e de 84% no que toca à remoção de mensagens e conteúdos, revela o relatório de transparência do Twitter.

Segundo a rede social, os governos da Rússia, da Turquia e dos Estados Unidos destacaram-se por um aumento de pedidos de informação, sendo que a empresa não acedeu a nenhum pedido dos primeiros dois países. Nos números absolutos, os EUA destacam-se com 1622 pedidos, 220 considerados urgentes, e o Twitter respondeu em 80% dos casos. Portugal fez apenas um pedido, ao qual o Twitter decidiu não responder.

Já no que toca ao número de pedidos de bloqueio de conteúdo destacam-se a Turquia com 477 pedidos, metade dos quais foram respeitados, a Rússia com 91 e a Alemanha com 43. Os pedidos foram principalmente relacionados, no caso da Turquia, com alegações de violação de direitos pessoais. Já da Rússia o Twitter recebeu pedidos de bloqueio de conteúdo ligado à promoção de drogas ilegais, bem como tentativas de supressão de manifestações pacíficas. Por fim, no caso da Alemanha, grande parte dos pedidos lidavam com manifestações de discurso de ódio e discriminação.

Através do endereço Chilling Effects, o Twitter disponibiliza ao público o acesso à informação sobre conteúdo bloqueado a pedido governamental.

A primeira edição do relatório de transparência do Twitter é de 2012, uma iniciativa partilhada por mais empresas, entre as quais estão a Apple, a Google e o Facebook.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG