Tawakkul Karman dedica prémio à "primavera árabe"

A iemenita Tawakkul Karman disse-se hoje "feliz e surpreendida" por ter sido distinguida com o Nobel da Paz e dedicou o prémio à "primavera árabe".

"É uma honra para todos os árabes, para os muçulmanos e para as mulheres. Dedico este prémio a todos os activistas da primavera árabe", disse Karman à televisão Al-Jazira.

"Estou muito feliz (...) Não esperava receber este prémio e nem sabia que a minha candidatura tinha sido apresentada", acrescentou.

Tawakkul Karman é a primeira mulher árabe a ser distinguida com um Nobel da Paz.

A distinção da jornalista e activista iemenita já foi saudada por um desses activistas, o egípcio Wael Ghonim, até hoje apontado como forte candidato ao Nobel.

"Felicitações a Tawakkul Karman pela sua vitória merecida do Nobel, enquanto árabe estou orgulhoso da sua vitória. O verdadeiro prémio para todos nós é que os nossos países sejam mais democráticos e mais respeitadores dos direitos humanos", disse Ghonim na sua conta na rede social Twitter.

Wael Ghonim, informático, tornou-se um símbolo da revolta no Egito. Detido por 12 horas durante o levantamento popular de Janeiro passado, deu uma entrevista à saída da prisão que foi vista por milhões de pessoas e que fez dele um ícone.

O Nobel da Paz 2011, hoje anunciado, foi atribuído a duas liberianas, a Presidente Ellen Johnson Sirleaf e a militante Leymah Gbowee, e à iemenita Tawakkul Karman.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG