Sem água, sem luz, sem escolas - assim é a Síria após 4 anos de guerra

Documento assinado por 20 ONG denuncia o fracasso da ação do Conselho de Segurança da ONU para proteger os civis e pôr termo a um conflito que já fez 220 mil mortos num país que está em parte nas mãos dos jihadistas

"Estava na aula quando a minha escola foi atingida. Fugi da escola para casa. (...). Nunca mais vi a minha escola ou os meus amigos; sinto muito a falta deles", conta Basma. O desabafo desta rapariga síria de 8 anos surge no relatório, elaborado por 20 organizações não governamentais (ONG) e ontem publicado. No documento, o Conselho de Segurança da ONU é acusado de ter falhado "miseravelmente" no apoio aos civis sírios, a braços com uma guerra que no domingo faz quatro anos e já vitimou mais de 220 mil pessoas.

O relatório das ONG recorda as resoluções aprovadas pelo Conselho de Segurança tendo em vista proteger os civis sírios e que não foram concretizadas, ou foram-no mal. Na prática, o órgão mais poderoso da ONU, porque decide da paz e da guerra, entrou em contradição consigo próprio: não fez cumprir nem cumpriu os seus documentos.

Leia a versão integral na edição impressa do DN e no e-paper

Mais Notícias

Outras Notícias GMG