Segundo caso de alegada espionagem agrava tensão

Um segundo caso, no espaço de poucos dias, de alegada espionagem dos EUA na Alemanha, conhecido na sexta-feira, está a intensificar a tensão bilateral, depois de se saber que a NSA espiava o telemóvel de Angela Merkel.

As autoridades alemãs divulgaram que a polícia está a fazer buscas, na área de Berlim, à casa e ao escritório de um homem identificado pela imprensa local como um militar alemão, que é acusado de transmitir informação secreta para os EUA.

Este segundo caso sucede às notícias, conhecidas sexta-feira, de um agente do serviço de informações alemão BND, com 31 anos, ser suspeito de ter vendido mais de 200 documentos ao serviço de informações norte-americano CIA.

Estes documentos incluíam alegadamente textos da comissão parlamentar alemã sobre as atividades da Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla em inglês), cujos alvos incluíam o telemóvel de Merkel.

O governo alemão tem recusado comentar os detalhes dos dois casos, enquanto as investigações avançam, mas já tornou pública a sua cólera e sentimento de traição por parte do seu aliado estratégico norte-americano.

"Espionagem é uma acusação muito séria", disse o porta-voz de Merkel, Steffen Seibert, enquanto também salientava "o profundo desacordo" entre Berlim e Washington quanto ao equilíbrio entre segurança e direitos civis.

Os dirigentes alemães que acompanham o último caso consideram-no "mais sério" do que o do alegado infiltrado da Cia no BND, segundo as notícias publicadas pelo diário Sueddeutsche Zeitung e duas rádios públicas.

O gabinete dos procuradores federais confirmnou apenas que "agentes policiais têm estado desde a manhã a fazer buscas da residência e no escritório de um acusado, na área de Berlim, devido a suspeitas preliminares de atividades de espionagem".

O Ministério da Defesa adiantou que "está em curso uma investigação" interna.

Na terça-feira, o coordenador governamental dos serviços de informações alemães falou com o diretor da CIA, John Brennan, e um dirigente do Ministério dos Negócios Estrangeiros reuniu-se na quarta-feira, pela segunda vez em cinco dias, com o embaixador norte-americano na Alemanha, John B. Emerson.

Mais Notícias