Reino Unido ignora Merkel e estuda novos limites à imigração

David Cameron insiste em bater o pé a Bruxelas ao pôr em causa a liberdade de movimento - algo que desagrada a Berlim.

O chefe do Governo de Londres; David Cameron, mantém-se irredutível: antes do Natal irá apresentar os seus planos para reduzir os direitos dos migrantes europeus no Reino Unido, revelava ontem a imprensa britânica. Por seu turno, George Osborne, responsável pela pasta das Finanças britânicas, sublinhou que o país defenderá os seus "interesses nacionais" na UE apesar das ameaças da chanceler alemã Angela Merkel sobre o futuro do Reino Unido no clube dos 28 .

A ideia de que o país está a ser excessivamente procurado por cidadãos europeus há muito que faz caminho entre os britânicos que temem as consequências dessa vaga de migrantes no seu próprio quotidiano. Cameron, que viu o seu partido perder deputados para o eurocético Ukip, procura estancar o avanço deste partido prometendo reformas que muitos britânicos exigem mas que os trabalhistas não ousaram realizar. A da imigração, ou migração, é a que colhe mais apoio interno.

Leia mais pormenores no epaper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG