Quadro com Putin em roupa interior feminina apreendido

Uma exposição que mostrava um quadro do Presidente russo Vladimir Putin e do seu primeiro-ministro Dmitri Medvedev em roupa interior feminina foi encerrada em Sampetersburgo, acusada de "extremismo".

"Fomos alertados por um cidadão que disse que os quadros expostos violavam a lei russa. A polícia apreendeu quatro quadros, que estão a ser examinados pelos peritos", afirmou à AFP o porta-voz da polícia, Viatcheslav Steptchenko.

Os outros quadros apreendidos mostram o patriarca de Moscovo com o corpo coberto de tatuagens prisionais e ouro mostra Vitali Milonov, autor da controversa lei que criminaliza a chamada propaganda gay, diante de crianças em pé frente a uma bandeira com as cores do arco-íris, símbolo da homossexualidade.

O quadro que mostra Putin numa combinação de tons rosa a acariciar a cabeça de Medvedev, vestido com soutien e cuecas, é do artista Konstantin Altunin. Fazia parte da exposição "Governantes", que abriu as portas há duas semanas.

Na Rússia, existe uma lei contra o insulto às autoridades, que pode ser punido com uma pena até um ano de prisão. O dono da galeria, Alexander Donskoy, disse que as autoridades não deram qualquer explicação para a remoção das obras. "Esta apreensão é ilegal", afirmou. "Não nos deram nenhum documento oficial que nos impede de estar abertos e nenhum recibo a confirmar as apreensões", acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG