Novo rosto do nacionalismo na Escócia, Nicola Sturgeon promete outro referendo

Diz-se "filha dos anos Thatcher", tem 44 anos e é, desde ontem, a primeira mulher líder do SNP. Sucede para a semana a Alex Salmond na chefia do governo escocês e garante que não vai desistir da independência.

Quem pensava que a questão da independência escocesa tinha ficado arrumada com a vitória do não no referendo de 18 de setembro enganou-se. Nicola Sturgeon deixou ontem claro que a independência da Escócia será a sua maior prioridade, depois de ser eleita para a liderança do Partido Nacionalista Escocês (SNP) no congresso que decorre em Perth, cidade do centro da Escócia - que já chegou a ser a sua capital.

"Hoje, mais do que nunca, acredito que devemos ser independentes, que seremos independentes", disse a sucessora de Alex Salmond, no penúltimo dia do congresso. Na próxima semana deverá suceder-lhe também na chefia do governo escocês. Salmond, de 59 anos, demitiu-se de ambos os cargos depois de o não vencer o sim à independência naquela consulta por 55% dos votos contra 45%. Questionada pela televisão Sky News sobre se espera ver uma Escócia independente do Reino Unido durante o seu mandato, Sturgeon respondeu sem hesitar: "Espero."

Leia mais no epaper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG