Novo governo de Netanyahu ameaça deixar Israel ainda mais isolado

As declarações do líder do Likud e a sua vitória nas urnas fazem temer retrocesso no processo de paz e na democracia israelita

Isolamento, agudizar da tensão com os palestinianos, por um lado, e com os árabes israelitas por outro são algumas das consequências para Israel do novo governo de Benjamin Netanyahu. Constituído por partidos da direita, extrema-direita e religiosos, a futura equipa governativa de Netanyahu possui todas as receitas para entrar ainda em rota de colisão com a administração Obama e a União Europeia e em guerra com o Irão.

A vitória do Likud nas urnas está a ser encarada com preocupação dentro e fora de Israel. No entanto, Netanyahu, o líder do partido que tem agora 30 deputados no Knesset (Parlamento), parece ignorar as razões dessa mesma preocupação e concentrar-se apenas na vitória que o comove e na formação rápida do executivo que, segundo Ravit Hecht, fará de Israel "o próximo Estado falhado do Médio Oriente".

Num artigo de opinião publicado no diário Haaretz, Hecht explica que o país está "a galopar para um futuro anti-democrático binacional saturado de racismo e ódio".

Ler a versão integral na edição impressa do DN e no e-paper

Mais Notícias

Outras Notícias GMG