Ministro das Finanças francês contraria Schäuble e recusa saída temporária da Grécia do euro

Michel Sapin considera que a possibilidade de uma saída temporária coloca em causa toda a zona euro.

O ministro das Finanças francês, Michel Sapin, rejeitou hoje a proposta do seu homólogo alemão de uma saída temporária da Grécia da zona euro, considerando que seria "falar de uma coisa que não pode acontecer".

Em entrevista ao semanário grego To Vima, citada pela France Presse, o ministro francês conta agora que rejeitou "veementemente" a sugestão de Wolfgang Schauble de uma saída temporária do país da zona euro, "algo que não pode acontecer".

"Se houver uma possibilidade de saída temporária, toda a união [monetária] é posta em causa", defendeu o governante francês.

O ministro alemão das Finanças destacou-se nas últimas semanas por representar a ala mais dura dos países da zona euro nas negociações com a Grécia, ao propor uma "saída temporária" do país do euro.

Sobre o acordo alcançado "a ferros" há menos de uma semana em Bruxelas, entre a Grécia e os seus parceiros, o ministro das Finanças francês salientou que "um acordo é um acordo e, por isso, deve ser respeitado em todas as suas componentes por todas as partes envolvidas".

Nesta medida, Michel Sapin considerou que, depois da "prova" a que foi sujeito o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, este "adquiriu um estatuto diferente aos olhos dos seus homólogos europeus".

A Grécia comprometeu-se a avançar com um conjunto de reformas, algumas das quais começarão a ser implementadas já na segunda-feira, enquanto os parceiros avançam com um plano de ajuda financeira de 80 mil milhões de euros, o terceiro plano de resgate a Atenas desde 2010.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG