Única boa solução é a queda de Al-Assad

O ministro francês dos negócios estrangeiros, Laurent Fabius, considerou hoje dramática a situação na Síria, onde já morreram cerca de 70.000 pessoas, e afirmou que "a única boa solução é que Bashar (Al-Assad) caia, quanto antes melhor".

"A situação na Síria é absolutamente dramática. Há quase 70.000 mortos, todos os dias morrem centenas e Bashar continua a assassinar o seu povo", disse o ministro em entrevista à televisão France 2.

Fabius, que hoje de manhã abre em Paris uma reunião de apoio aos opositores da Coligação Nacional Síria (CNS), descartou o risco de a queda do regime do presidente Al-Assad levar os integristas ao poder.

Para o ministro francês, a CNS "comprometeu-se a reconhecer a totalidade das comunidades" do país e as vidas dos dirigentes da oposição são uma garantia de que manterão o compromisso: "São em geral pessoas que passaram vários anos das suas vidas na prisão, precisamente porque não querem o terrorismo e o extremismo".

O governante destacou que na reunião de hoje, organizada pelo governo francês, participam mais de cinquenta países e organizações regionais para apoiar a oposição a Bashar Al-Assad.

Segundo o seu gabinete, esta reunião tem, em primeiro lugar, uma dimensão política, para tentar que cada vez mais Estados se juntem ao "reconhecimento da CNS como representante legítima do povo sírio".

Também tem uma dimensão financeira, na sequência da conferência que se dedicou à oposição síria a 12 de dezembro na cidade marroquina de Marraquexe.

A reunião de Paris, que reúne altos funcionários em representação de cada delegação, visa também abordar as questões humanitárias do conflito.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG