Regresso às aulas em Gaza entre lágrimas e destruição

Na Faixa de Gaza o regresso às aulas foi feito entre lágrimas e destruição. A guerra entre o Hamas e Israel durou 50 dias e, segundo autoridades palestinianas, 24 escolas foram totalmente destruídas durante o conflito e outras 190 parcialmente destruídas. Em Gaza, parte dos territórios palestinianos, 45% da população tem atualmente menos de 14 anos.

Entre as suas 60 colegas, Azhar recita um poema, que escreveu para o seu pai. Este morreu durante a guerra entre o grupo radical islâmico palestiniano e as forças militares israelitas. Em altura de regresso às aulas, os pequenos palestinianos partilham, nas suas escolas destruídas pelos bombardeamentos israelitas, as suas angústias, medos, tristeza e alguma réstia de esperança num futuro melhor.

Com três semanas de atraso, após um conflito que fez 2 140 mortos, mais de meio milhão de estudantes regressaram à escola. Azhar, que perdeu o pai nesta guerra em Gaza, a terceira em seis anos, recita o seu poema. "Que te dizer papá? Dizer que te amo não é suficiente papá", lê a menina de nove anos, em lágrimas.

"Mesmo se o meu pai está morto, estou contente por voltar à escola", diz ela à AFP, afirmando pouco depois que, quando for grande, quer ser médica. "Era essa a vontade do meu pai", remata a mais velha de seis irmãos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG