Reformistas fora das legislativas

O afastamento dos candidatos do Movimento Verde foi de tal forma completo, que os aliados do presidente Mahmoud Ahmadinejad representam a fação menos conservadora na votação de dia 2.

As forças reformistas foram afastadas das legislativas no Irão, cuja campanha começou hoje. A eleição realiza-se na próxima sexta-feira e concorrem mais de 3400 candidatos, previamente escolhidos pelo Supremo Líder ayatollah Ali Khamenei e pelo Conselho de Guardiães, um órgão ultra-conservador do regime. Segundo fontes da oposição, as autoridades já fizeram dezenas de detenções e muitos dirigentes reformistas do Movimento Verde continuam sob prisão domiciliária.

O afastamento dos reformistas foi de tal forma completo, que o presidente Mahmoud Ahmadinejad representa a força menos fundamentalista nestas eleições. O presidente não concorre, mas os seus aliados formaram um grupo, Paidari (Frente da Resistência). Oficialmente, Ahmadinejad é neutro e não apoia nenhum candidato.

Segundo os observadores, estas eleições são um teste à resistência de Ahmadinejad, antes das eleições presidenciais do próximo ano, onde o atual chefe de Estado tentará fazer eleger um seu aliado, que lhe permita manter a influência política. O presidente está a concentrar o descontentamento, responsabilizado pela situação económica agravada por sanções internacionais, com inflação e desemprego altos.

Os principais rivais do grupo de Ahmadinejad são todos ultra-conservadores, mas a aliança mais próxima de Khamenei chama-se Motahed, Frente Unida. Há duas outras coligações de conservadores, uma delas, Istadegi, ligada a um dos candidatos presidenciais derrotados em 2009, o ultra-conservador Mohsen Rezae, que na altura também contestou os resultados.

As eleições de 2009 continuam a influenciar a política iraniana, já que os protestos por causa do anúncio apressado da vitória de Ahmadinejad deram origem a um movimento de massas reprimido com brutalidade. O movimento verde era chefiado por Mir-Hossein Moussavi, um ex-primeiro-ministro. Os 290 lugares são uninominais e em 2008 foram afastados 1700 candidatos reformistas. Mesmo assim, esta fação elegeu 51 deputados, com os grupos conservadores a dominarem o parlamento (195 eleitos).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG