Principal sinagoga de Beirute vai ser reconstruída

Empresa de Rafic Hariri vai contribuir com mais de cem mil dólares para a reconstrução do templo judaico da capital libanesa. A decisão de recuperar a sinagoga, que está em ruínas, recebeu o apoio de todas as forças políticas que pretendem assim mostrar como o Líbano é um país aberto e tolerante.

No centro da capital libanesa existe uma sinagoga que se encontra em ruínas. Após um acordo entre as várias denominações religiosas, a autorização do Governo de Beirute, de responsáveis pelo planeamentoe até do Hezbollah (grupo xiita libanês e inimigo figadal de Israel) foi decidido que a reconstrução do principal templo judaico de Beirute irá recomeçar nas próximas semanas.

O projecto será financiado pelas dezenas de judeus que vivem no Líbano, por alguns da Diáspora e receberá ainda 150 mil dólares da Solidere, a empresa de construção criada pelo antigo primeiro-ministro Rafic Hariri e que, desde o seu assassínio em 2005, se mantém nas mãos da família.

O projecto recebeu a luz verde depois dos responsáveis políticos e das várias comunidade se terem convencido de que a iniciativa poderia mostrar ao mundo como o Líbano é um país aberto, tolerante de todas as confissões religiosas, incluíndo o judaismo.

A comunidade judaica do Líbano é uma das 17 comunidades confessionais reconhecidas oficialmente no país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG