Juiz diz que há "raparigas gostam de ser violadas"

Nissim Yeshaya, juiz israelita, apresentou a sua demissão após frase polémica, decisão que a ministra da Justiça, Tzipi Livni, considerou apropriada.

"Algumas raparigas gostam de ser violadas", esta foi a frase que o juiz israelita Nissim Yeshaya proferiu, na terça-feira, durante uma audiência de um caso de violação a uma rapariga menor e que causou polémica em Israel.

A rapariga tem atualmente 19 anos mas, segundo o Haaretz, foi violada há seis anos por um grupo de adolescentes, perto de Jerusalém. No entanto, o Ministério da Defesa não considerou a jovem vítima desta violação.

A frase proferida por Nissim Yeshaya gerou desde logo uma onda de protestos, muitos pedindo a sua demissão, já que até ao momento o juiz exercia o cargo de chefe dos tribunais administrativos e de orientação.

O juiz israelita era também um dos candidatos preferidos do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu a presidir o tribunal interno do partido. No entanto, depois desta polémica o primeiro-ministro decidiu retirar-lhe o seu apoio, tendo referido que alguém que se expressa desta forma não serve para exercer este cargo.

Hoje Nissim Yeshaya apresentou a sua demissão, abandonando o cargo que exercia de imediato, avança o site do jornal Haaretz. Em comunicado a ministra da Defesa de Israel, Tzipi Livni, afirmou: "O juiz anunciou a sua demissão e esta é a coisa certa a fazer perante um caso tão sério como este. Apenas desta forma as pessoas poderão voltar a ter esperança no sistema judicial" cita o jornal israelista.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG