Jordânia pede ajuda para acolher refugiados sírios

O primeiro ministro da Jordânia, Adballah Nsour, apelou hoje à comunidade internacional que ajude o país no acolhimento aos refugiados sírios, avança a agência Efe.

Durante uma reunião com o secretário-geral da ONU, Nsour explicou que os cerca de 250 mil refugiados representam uma "enorme carga" para a Jordânia, que atravessa uma difícil situação económica e financeira.

O dirigente disse ainda que a Jordânia está a construir um segundo campo para os refugiados no bairro de Zarq, a 30 quilómetros de Amã, perante a possibilidade da chegada de mais civis sírios.

Adballah Nsour esteve também hoje com a atriz norte-americana Angelina Jolie, embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, a quem informou sobre as consequências humanitárias da crise síria na Jordânia.

Recordou que a Jordânia reduziu em 15% os seus gastos públicos como parte das medidas de austeridade adotadas

"Esta situação deve motivar os países irmãos e amigos e as organizações a ajudar a Jordânia, para que possa continuar a ampliar os serviços básicos prestados aos refugiados sírios", sublinhou.

Mais de 2,5 milhões de sírios abandonaram as suas casas e cerca de 400 mil estão registados como refugiados nos países vizinhos, um número que segundo a ONU irá aumentar até aos 700 mil no final do ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG